Destaque Saúde | AM

Wilson Lima vai até Bolsonaro cobrar maior agilidade no processo de compra de vacinas

Governo do Amazonas Wilson Lima | foto: Divulgação
Governo do Amazonas Wilson Lima | foto: Divulgação
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

Brasilia/DF – O governador do Amazona Wilson Lima foi convocado em Brasília (DF), nesta quarta-feira (24/03), pelo presidente da república Jair Bolsonaro e em reunião com outros governadores das cinco regiões do país, Wilson não abriu mão de apresentar demandas que o estado do Amazonas tem participado internamente para o enfrentamento da pandemia   

Presentes no encontro estavam representantes do Legislativo, Judiciário e de instituições independentes, e governadores convidados, onde foi decidido que está criado um comitê que se reunirá semanalmente e que o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, será o encarregado de levar para o grupo os pleitos dos governadores.

“Eu fiz um apelo ao presidente da República para que haja agilidade no processo de compra de vacinação e que a gente tenha a disponibilidade da maior quantidade possível de doses. Que haja também um equilíbrio entre a proteção da vida e a flexibilização das atividades econômicas porque as pessoas precisam, também, continuar com seu emprego, continuar garantindo o sustento das suas famílias”, disse o governador do Amazonas.

Demandas do Amazonas – A pauta defendida por Wilson Lima foi entregue, na íntegra, ao novo titular do Ministério da Saúde (MS), Marcelo Queiroga, com quem o governador conversou.

Conforme conta nesse documento, para o governador do Amazonas existe a necessidade de inserir as gestantes e puérperas no grupo de risco para vacinação, além de um orçamento para a Saúde maior do que foi aprovado pelo parlamento e do maior controle sobre a prioridade na compra de insumos para assistência à saúde.

O Supremo Tribunal Federal (STF) não participará diretamente do comitê, mas o presidente da Suprema Corte, ministro Luiz Fux, disse que o Poder Judiciário verificará estratégias para evitar a judicialização das medidas a serem adotadas. Ele justificou que a judicialização é um fator que leva à demora na tomada de decisões.