Amazonas

Wilson Lima intensifica atuação do governo na proteção às mulheres

Wilson Lima
Redação
Escrito por Redação

O governador do Amazonas, Wilson Lima, participou, na manhã desta sexta-feira (06/12), da Caminhada dos Homens pelo Fim da Violência contra Mulheres, promovida pela Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) como parte da campanha “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”.

A ação integrou a programação do segundo dia do programa “Muda Manaus”, que acontece até este sábado (07/12) no bairro Amazonino Mendes (Mutirão).

Com a participação de estudantes, professores, artistas, líderes de movimentos sociais e servidores públicos, a caminhada teve início no Fórum Azarias Menescal, no Jorge Teixeira, e seguiu até a Bola do Produtor. Na ocasião, Wilson Lima destacou o empenho do Governo do Amazonas no combate à violência praticada contra a mulher.

“As autoridades têm que se movimentar nesse sentido, e eu estou aqui juntamente com a minha equipe para demonstrar o compromisso que nós temos com essa causa”, destacou o governador.

De acordo com o governador, a atual gestão tem atuado em diversas frentes para implementar e fortalecer políticas públicas voltadas às mulheres.

“Nós aumentamos a quantidade de delegacias da mulher na capital. Quando nós assumimos o governo havia apenas uma delegacia, hoje nós temos três delegacias, inauguramos uma aqui no bairro Cidade de Deus, que é divisa com a zona norte e zona leste, inauguramos outra lá na zona sul, implantamos também o serviço de apoio à criança, à mulher e ao idoso no interior, e vamos levar para outros municípios”, frisou.

Anúncio – Wilson Lima também anunciou que o Estado está articulando com o Governo Federal a instalação da Casa da Mulher Brasileira no Amazonas. Paralelamente, o governo estadual tem atuado, por meio do Fundo de Promoção Social (FPS) e da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), na concessão de benefícios destinados à capitação e estímulo ao empreendedorismo.

“Inclusive, ontem, nós assinamos um convênio com as mulheres aqui do Mutirão para o repasse de R$ 50 mil para a capacitação de domésticas, para que elas possam acessar o mercado de trabalho, da mesma forma que nós disponibilizamos recursos de crédito solidário, através da Afeam, para que elas possam iniciar ou ampliar os pequenos negócios que elas têm. Então, todas essas ações são condições que nós estamos dando para o empoderamento da mulher e mostrando esse compromisso que nós temos com elas”, acrescentou Wilson Lima.

Contribuição – A secretária da Sejusc, Caroline Braz, acompanhou a caminhada junto com o governador e destacou a importância do momento, que tinha o objetivo de incentivar o envolvimento dos homens na luta contra a violência de gênero. “O dia 6 de dezembro é o dia nacional de combate à violência contra a mulher protagonizado pelos homens, os homens contra essa violência. Isso mostra que estamos todos juntos, estamos realmente unidos para acabar com essa violência cruel e covarde que tem assolado as mulheres de todo o mundo”, comentou ela.

O servidor público Alexsandro Lopes avaliou como positiva a participação de diversos movimentos sociais, como o negro e o indígena, na caminhada desta sexta-feira.

“Eu acho isso importantíssimo, porque como nós sabemos tem muitas mulheres que sofrem violência e sofrem caladas, não tem coragem (de denunciar), muita das vezes porque tem filhos com esses agressores e pensam não só nelas. Eu tenho visto que isso tem mudado muito, a situação de muitas mulheres, realmente, e vale a pena a gente apoiar uma causa dessa”, afirmou.

Movimentos – A campanha “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” é um movimento internacional, criado durante o primeiro encontro “Women’s Global Leadership Institute”, em 1991. Desde então, a data é apoiada por instituições, escolas e sociedade civil de todo o mundo.

Já o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, fixado em 6 de dezembro, integra a Campanha do Laço Branco, que tem a finalidade de engajar os homens na mudança de ideias e comportamentos, mostrando que todos devem lutar pela igualdade de gênero e conscientização sobre a não violência doméstica e intrafamiliar.

Com informações a assessoria