Amazonas Destaque

Wilson Lima e Coca-Cola se reunem por apoio à vacinação contra a Covid-19 no Amazonas

Wilson Lima Governo do Amazonas Coca-Cola Covid-19
Foto: Diego Peres
Escrito por Zukka Brasil | AM

O governador Wilson Lima participou de reunião virtual com representantes da Coca-Cola Brasil, nesta terça-feira (22/06), e a companhia informou que vai amadrinhar 58 municípios do interior do Amazonas com o suporte necessário para acelerar a vacinação contra a Covid-19. Segundo Wilson Lima, a estrutura será fundamental para os mutirões Vacina Amazonas’, realizados pelo Governo do Estado, em conjunto com Municípios, para agilizar a imunização.

A Coca-Cola Brasil, por meio do movimento Unidos Pela Vacina, vai doar geradores, computadores, no breaks, caixas térmicas, termômetros, carteiras de vacinação, equipamentos de proteção individual (EPIs), material de limpeza e geladeiras de -20°C.

Wilson Lima destacou que a Coca-Cola tem sido parceira do Amazonas tanto nos eventos culturais quanto em ações de cidadania e saúde, especialmente no combate à pandemia da Covid-19.

“Acabei de receber o anúncio de que 58 municípios serão ajudados com suporte de refrigeradores, de termômetros, luvas cirúrgicas, enfim, aquilo de que os municípios precisam agora e que vai ajudar nesse processo de vacinação. É uma ajuda muito bem-vinda neste momento em que precisamos avançar nessa ação de vacinação aqui no estado”, destacou.

O movimento da sociedade civil Unidos Pela Vacina reúne centenas de entidades, empresas, associações e ONGs com o objetivo de tornar a imunização viável para todos os brasileiros até setembro de 2021.

A execução desse projeto no Amazonas será por meio do Grupo Apoio Voluntário, uma ONG local, que tem coordenado diversas ações de apoio à população do estado durante a pandemia.

Segundo o gerente de Relações Governamentais da Coca-Cola Brasil, Luiz Felipe Schmidt, a iniciativa busca estruturar o estado para quando grandes lotes de imunizantes comecem a chegar.

“Nossa ideia é dar um pouco de tudo, exceto a vacina em si, sendo atribuição do Governo Federal. Nossa ideia é comprar tudo localmente para fazer com que tudo circule por aí, para ajudar na logística e no mesmo ecossistema inclusive da economia”, disse.