ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Unidades do Sistema Hapvida reforçam medidas no combate a infecções hospitalares em meio a pandemia

Infecção hospitalar | Foto: Ascom
Infecção hospitalar | Foto: Ascom
Escrito por Zukka Brasil | AM

Instituído por lei, o Dia Nacional do Controle das Infecções Hospitalares é lembrado todo dia 15 de maio. A data tem como objetivo conscientizar profissionais de saúde, como autoridades sanitárias, diretores de hospitais e demais trabalhadores da área, sobre a importância do controle de infecções dentro destes ambientes.

As infecções podem ser adquiridas após a admissão do paciente em unidades hospitalares e podem se manifestar durante a internação ou mesmo após a alta hospitalar. Ela é caracterizada como um problema de saúde pública, uma vez que, além de aumentar o tempo de internação, pode também causar comorbidades graves e ainda levar ao óbito.

A prática mais simples e eficiente para o controle de infecções no ambiente hospitalar é a higienização das mãos, hábito que tem ganhado cada vez mais importância a cada dia diante da pandemia do coronavírus.

A pandemia da Covid-19 trouxe uma ampla disseminação entre os profissionais de saúde e população em geral da importância de seguir as normas de precaução contra a transmissão de infecções.

A enfermeira Silvani Vieira Cardoso, que atua no Hospital Rio Amazonas, do Sistema Hapvida em Manaus, explica quais medidas vêm sendo desenvolvidas nas unidades hospitalares no combate ao vírus.

“Estamos realizando treinamentos, auditorias de procedimentos e check-list de inserção de cateteres. Além da educação continuada em relação a métodos de prevenção de infecção, discussão de casos clínicos com equipe multidisciplinar e notas orientativas”, destaca.

Ela ainda lembra que novos métodos estão sendo realizados em relação aos acompanhantes de pacientes que recebem procedimentos cirúrgicos, como o parto de cesárea, por exemplo.

“Para garantir a humanização do parto, realizamos reunião com os setores envolvidos. Há uma triagem em relação à prevenção ou não de sinais e sintomas gripais do acompanhante, no caso de haver ou ter tido contato com paciente infectado pela Covid-19, a equipe realiza o acolhimento e solicita que seja escolhido outro (a) acompanhante. Todas as gestantes passam pela classificação de risco e em casos de ter diagnóstico de suspeita ou confirmação de Covid-19, acompanhamos a paciente durante toda a internação. O acompanhamento do controle de infecção é realizado pela enfermeira e infectologista”.

No entanto, especialistas reforçam que a forma mais simples e efetiva de evitar a transmissão de infecções, incluindo o coronavírus, em ambiente hospitalar é a higienização de mãos. Pode ser por meio de higienização com água e sabão ou por meio de fricção com álcool 70%. Essa recomendação vale tanto para profissionais de saúde quanto para visitantes e também pacientes.