ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Tremor nos olhos? Saiba o que pode ser

Hapvida Oftalmologia \ Foto: Divulgação
Hapvida Oftalmologia Foto: Divulgação
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

Quem nunca sentiu aquele tremor persistente na região dos olhos e ficou preocupado? Pois é, crendices de lado, as palpitações nos olhos podem sinalizar outras coisas, além de apenas preocupação. O ato involuntário, que incomoda bastante, pode durar de um a vários dias. Contudo, em alguns casos, além de um simples tremor, esse ato pode significar que algo não vai bem com a sua saúde.

Tremor nas pálpebras, em termos médicos, pode ser chamado de “mioclonia” ou “mioquimia”, são espasmos musculares podendo estar relacionados ao cansaço; ansiedade; nervosismo; estresse; excesso de trabalho; noites mal dormidas e uso do celular na cama; alimentação inadequada; falta de vitaminas e minerais; problemas de visão, como olho seco e cansaço visual; consumo excessivo de café ou álcool; alergias; desidratação; ou muitas horas em frente ao computador e celular.

Olho tremendo também pode ser comparado ao que acontece quando temos uma cãibra, por exemplo, só que na região das pálpebras sentimos elas tremerem. Geralmente, esse tremor afeta apenas uma das pálpebras, no entanto, mesmo sendo raro, é possível também afetar ambos os olhos.

Esses tremores acontecem porque o músculo palpebral, ou orbicular, provoca movimentos muito rápidos com intuito de aumentar a circulação sanguínea na região. Além disso, também pode ser decorrente dos hormônios ligados ao estresse que vão parar no sistema nervoso autônomo e acabam levando estímulos para essa área, que passa a ter contrações involuntárias.

O oftalmologista do Sistema Hapvida, Carlos Sicchar, explica o que causa esse aumento de tremor nos olhos das pessoas.

“O tremor palpebral é uma contração involuntária, também chamado de mioquimia, geralmente é sinal de cansaço, ansiedade, nervosismo ou geralmente quando estamos sentindo os sintomas do estresse, liberamos hormônios como o cortisol, que vão para o sistema nervoso autônomo – aquele que controla funções como respiração, controle de temperatura e digestão e não depende da nossa vontade para funcionar. Lá, eles geram estímulos para as pálpebras e as fazem ter contrações involuntárias e repetitivas. O consumo exagerado de cafeína, que aumenta a produção de cortisol, e a deficiência de vitaminas também podem provocar o tremor. Caso todas essas causas sejam descartadas, existe a possibilidade de haver uma lesão ocular ou um distúrbio neurológico. Nesses casos, é diagnosticado um quadro de blefaroespasmo. No blefaroespasmo, há um comprometimento maior do número de fibras musculares, causando um piscar de olhos excessivo e constante. Os tremores são tão intensos que limitam a vida da pessoa. Esse espasmo também pode ser consequência da síndrome do olho seco (quando as lágrimas não fornecem a umidade adequada) ou até efeito colateral do uso prolongado”, esclarece.

O médico ainda lembra o que deve ser feito caso os tremores aumentem com certa frequência.

“Se o tremor estiver intenso, permanecer por mais de uma semana, vir acompanhado de coceira e vermelhidão ou atingir outras partes do corpo, melhor visitar um oftalmologista. Para casos de estresse, excesso de cafeína e carência vitamínica, o tratamento é simples: relaxar, dormir bem, maneirar. A grande maioria dessas contrações são causadas pelo estresse. Quando persistir o problema deve-se marcar uma consulta com o oftalmologista com urgência”, destaca.

Para evitar o tremor na pálpebra é válido ainda seguir algumas medidas que garantem a saúde dos seus olhos, como:

– Fazer pausas periódicas nas tarefas que exigem esforço ocular;

– Respeitar o período de descanso;

– Beber bastante água;

– Moderar o consumo de substâncias estimulantes;

– Evitar situações estressantes;

– Ter momentos de lazer para descansar;

– Evitar o contato com agentes alergênicos;

– Tire intervalos durante o dia do uso de eletrônicos;

– Praticar exercícios físicos ou esportes;

– Manter uma alimentação balanceada e equilibrada, com boa ingestão de vitaminas e minérios;

– Evite excessos de café e bebidas alcoólicas.

Como fazer parar o tremor nas pálpebras?

– Se o problema for decorrente de uma alergia, é importante realizar a higienização dos olhos. Nesse caso, é recomendado usar soro fisiológico, pois ajuda a reduzir a coceira;

– Realizar massagens suaves na pálpebra afetada pelo espasmo pode ajudar;

– Tomar chá de camomila ou realizar compressas com a planta; por gelo no local também pode ser uma alternativa, pois ajuda a anestesiar a musculatura;

– Utilize colírios sob recomendação médica. Essa é uma forma de manter seus olhos sempre hidratados.

Além disso, é importante ressaltar que qualquer problema, deve-se procurar um especialista, pois a automedicação é contraindicada, pois pode prejudicar ao invés de melhorar. Por isso, se você sentir tremor persistente ou qualquer outro tipo de sintoma, procure imediatamente o oftalmologista para indicar o melhor tratamento