Amazonas Destaque

TCE-AM não reconhece lista divulgada e Prefeitura coopera com transparência em lista de vacinação

TCE-AM | Foto: Assessoria
TCE-AM | Foto: Assessoria
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

O Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) acaba de emitir nota informando à sociedade amazonense que não reconhece a lista que está circulando em grupos de aplicativos de mensagem e redes sociais, desde a tarde desta sexta-feira (22), como sendo a enviada pela Secretaria Municipal de Saude à Corte de Contas dos imunizados na primeira etapa de vacinação contra a Covid-19.

A lista enviada por e-mail, às 19h40 de quinta-feira, pelo município, não foi disponibilizada oficialmente pelo TCE por estar incompleta e sem vários dados solicitados por este Tribunal, para cruzamento.

Vale ressaltar que a suposta lista divulgada em portais de notícias, por ser um arquivo digital, pode ser alterada por conhecedores de tecnologias.

Este Tribunal informa, ainda, que a lista, na íntegra, será amplamente divulgada pela Presidência do TCE-AM assim que for oficialmente recebida da Prefeitura de Manaus e, de forma transparente, será disponibilizada no portal deste Tribunal.

Na oportunidade, este TCE-AM reafirma o compromisso com a sociedade e garante que todas as denúncias de irregularidades em relação à vacinação serão apuradas e, caso constatadas, os responsáveis serão penalizados com o rigor legal.

PREFEITURA DE MANAUS COOPERA PROCESSO INTEGRO

O prefeito de Manaus, David Almeida, reafirma a transparência no processo de vacinação contra a Covid-19 e não admitirá e nem compactuará com eventuais atos individuais de favorecimento à prioridade definidas pelo Ministério da Saúde para a fila da vacinação.

Registra ainda que a construção da lista de vacinação das redes de média e alta complexidade, do governo do Estado (Hospitais, SPAs e UPAs) são de inteira responsabilidade dos gestores das respectivas unidades de saúde.

Desde já, o prefeito de Manaus anuncia a criação de uma Comissão de Ética e Disciplina para apurar e impor as sanções cabíveis no âmbito municipal.