Saúde | RR

Sesau transfere paciente que necessita de cirurgia cardíaca para hospital de referência em Recife

Covid em Roraima remoção aérea Utilizadores | Foto: Eides Antoneli
Covid em Roraima remoção aérea Utilizadores | Foto: Eides Antoneli
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

A Sesau (Secretaria de Saúde) realizou a remoção, por meio de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Aérea, do paciente Antônio Alves Rodrigues, 72 anos, do Hospital das Clínicas Dr. Wilson Franco para o IMIP (Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira), na cidade de Recife, em Pernambuco. O paciente foi saiu de Boa Vista às 23h45 do domingo (12), e chegou ao destino às 06h desta segunda-feira (13).

De acordo com Gerson Castro, coordenador interino da CGRAC (Coordenadoria Geral de Regulação, Avaliação e Controle), setor responsável pelo serviço, à remoção foi necessária devido à necessidade de acompanhamento do paciente em uma unidade de referência para receber tratamento especializado em cirurgia cardíaca.

“Essa remoção aérea faz parte do TFD [Tratamento Fora de Domicílio], que é concedido quando uma junta médica identifica que o procedimento não pode ser prestado em Roraima. Então, de imediato é feita a solicitação de transferência, para que o paciente receba o atendimento nas unidades conveniadas com o SUS [Sistema Único de Saúde], em todo o Brasil”, esclareceu Castro.

O paciente estava internado no Hospital das Clínicas desde março.

“Ele foi admitido por um quadro de AVC [Acidente Vascular Cerebral] e já tinha doença cardíaca prévia. Por meio de uma tomografia de crânio e tórax, foi diagnosticado um aneurisma na artéria aorta próximo ao coração”, explicou o médico cardiologista Leonardo Vasconcelos.

Para a filha de Antônio Alves Rodrigues, a estudante Alcimara Rodrigues, o sentimento é de gratidão.

“Não tenho palavras para agradecer a atenção que meu pai recebeu. Fiquei com muito medo e nervosa, mas a equipe da Sesau me ajudou e entendeu meu estresse. Graças a Deus meu pai está recebendo o tratamento adequado, e sou muito grata a todos que nos ajudaram”, declarou Alcimara.

TFD – O Estado disponibiliza a passagem aérea e a ajuda de custo para o paciente e o acompanhante. Em 2020 foram realizadas cinco remoções aéreas que somadas custaram cerca de R$ 690 mil. Em alguns casos, de acordo com a complexidade do tratamento, a remoção é feita por meio de UTI Aérea.