Destaque Saúde | AM

SEMSA diz que ex-prefeito Arthur Neto deixou Manaus com estoque “zerado” de medicamento para Covid-19

Prefeito Arthur Virgílio Neto | Foto: Mário Oliveira
Prefeito Arthur Virgílio Neto | Foto: Mário Oliveira
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

URGENTE !! – A subsecretária de Administração e Planejamento da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), Aline Martins, informou nesta terça-feira (12) que a gestão de Arthur Neto (PSDB) entregou a Semsa sem estoque de medicamento para o tratamento precoce de Covid-19.

Segundo a subsecretária, itens principais, como Ivermectina, estavam com estoque zerado. Outro medicamento, Azitromicina, o que tinha no estoque era suficiente para o atendimento de somente 700 pessoas. Manaus tem uma população de 2,2 milhões.

“Encontramos os itens principais para o enfrentamento da Covid-19, que seria Ivermectina e Azitromicina, a Ivermectina com estoque zero e a Azitromicina com a capacidade de atender, no máximo, 700 pessoas, o que é mínimo para uma população local que é de 2,1 milhões de pessoas”, disse a subsecretária durante reunião virtual da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM).

De acordo com ela, o Governo do Amazonas socorreu a Prefeitura de Manaus neste início de gestão, para que o município pelo menos iniciasse o ano com algum atendimento à população. “O Estado nos socorreu para pelo menos não iniciarmos com estoque mínimo”, disse a subsecretária.

A subsecretária também relatou a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “Não tinha luva”, informou Aline Martins. “Nosso primeiro problema mais grave foi de estoque para enfrentamento da Covid-19. Para os próximos 20, 30 dias, conseguimos resolver o estoque com a ajuda do Estado”, declarou Aline Martins.

No último dia 6, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), doou 2 mil luvas e 5 mil máscaras cirúrgicas para a Semsa. A SES-AM também informou que doaria mais 5 mil comprimidos de Azitromicina e 2 mil comprimidos de Ivermectina.

Na audiência, os técnicos da Semsa reforçaram a orientação para que a população busque a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de casa aos primeiros sintomas da doença.

Essa busca deve ocorrer antes de sentir falta de ar, reforçaram os técnicos.

Os sinais e sintomas de Covid-19 e outras síndromes gripais mais comuns, que são alerta para procurar assistência médica em UBS, são febre, tosse, coriza, dor de garganta, congestão nasal, produção de escarro e dificuldade para deglutir (engolir).

Os estudos sobre a doença desenvolvidos até aqui mostram que, em média, os primeiros sintomas começam aparecer entre os dias 5 e 7 pós-infecção. E em 55% dos casos, nesses primeiros dias, esses sinais são leves ou moderados. Por isso que nessa fase é importante procurar assistência médica em uma UBS para evitar o agravamento da Covid-19.

As informações são do Portal Estado Político