Economia | RR

Roraima bate recorde com 1.200 novos postos de trabalho em novembro

Indices Roraima. Imagem divulgação
Zukka Brasil
Escrito por Zukka Brasil

O estado de Roraima criou 1.200 novos postos no mercado de trabalho no mês de novembro, alcançando o maior índice da série histórica. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta quarta-feira, dia 23, pelo Ministério da Economia.

“A minha gestão no Governo de Roraima prioriza o crescimento econômico com a geração de emprego e renda para a população e a cada mês estamos solidificando ainda mais a nossa economia”, disse o governador Antonio Denarium, ao destacar que esse dado positivo é o reflexo de dois anos de gestão.

Para o secretário da Fazenda, Marcos Jorge, esses índices positivos nas contratações no mês de novembro, bem como ao longo de todo o ano de 2020, são reflexo das políticas implantadas pela gestão do governador Antonio Denarium no sentido de atrair investimentos e de fomentar a economia local.

“O maior gerador de empregos em 2020 foi a construção civil, com saldo positivo de 1.343 novos postos no ano. Tivemos um grande volume de postos de trabalho abertos na indústria energética, além de obras de uma forma geral, fazendo com que Roraima combata o desemprego causado por conta da pandemia da COVID-19”, explicou o secretário.

De acordo com o secretário adjunto da Seplan (Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento), o economista Fábio Martinez, esse é o maior recorde da história e é também reflexo das contratações temporárias do comércio para as festas de final de ano.

“Nós estávamos com uma perspectiva muito boa com relação às contratações temporárias agora para o final do ano. O pessoal só contrata porque está bem otimista. Este final de ano, apesar da pandemia, está bem esperançoso”, disse.

Martinez apontou os setores de serviço e da construção civil como responsáveis por esse crescimento exponencial no número de empregos com carteira assinada em Roraima no mês de novembro.

“Esses números levam a crer que nós teremos um dezembro bem atípico, devendo fechar o ano com um número muito bom. A gente já tem aí o maior crescimento entre as unidades da Federação e há a perspectiva que a gente mantenha isso, mesmo que o crescimento de dezembro não seja tão alto assim”, afirmou.

O economista destacou ainda que, no acumulado do ano, a construção civil, que teve um crescimento de mais de 30% no número de empregos, e o setor de serviços foram os que mais contrataram e geraram novos postos de trabalho em Roraima, juntamente com o Comércio, mas em menor escala, que foi o que mais sentiu os efeitos da crise causada pela pandemia da COVID-19.