Destaque Saúde | RR

Retomada dos atendimentos diversos no Hospital Geral de Roraima

Hospital Geral de Roraima - Foto Ascom
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

Diante do cenário que a COVID-19 vem apresentado nas últimas semanas, em que o Estado de Roraima tem alcançado estabilidade nos registros da doença e redução no número de óbitos, medidas importantes começam a ser adotadas na administração pública, incluindo as unidades hospitalares. No HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento), por exemplo, o atendimento geral no Paar (Pronto Atendimento Airton Rocha) será retomado a partir desta sexta-feira, 4, em virtude da diminuição de casos relacionados às internações.

O HGR continuará atendendo os casos graves de pacientes acometidos pela doença, no entanto, além dos casos de urgências e emergência, voltará a atender as outras demandas que estavam sendo direcionadas ao HC (Hospital das Clínicas Dr. Wilson Franco).

“Graças a Deus, aos poucos estamos superando os desafios que essa pandemia nos fez enfrentar e o resultado é que esta semana Roraima chegou a ser, pela terceira vez, o Estado com maior redução de óbitos da doença. Para nós, significa esperança e nos motiva a dar um passo importante, que é a retomada dos serviços no HGR”, esclareceu o secretário de Saúde, Marcelo Lopes.

Para a retomada dos atendimentos no hospital, serão adotadas todas as medidas de prevenção e segurança, que incluem a oferta de álcool em gel e o uso obrigatório de máscara. “No momento em que o paciente chegar ao pronto atendimento, ele já deverá estar utilizando máscara e o acompanhante também, ou seja, será obrigatório o uso de máscara dentro do hospital. Além disso, será disponibilizado álcool em gel para que as pessoas façam a higienização adequada das mãos durante a permanência na unidade”, complementou.

De acordo com a diretora geral do HGR, Débora Maia, a decisão pela retomada dos atendimentos está relacionada também ao aumento da demanda de outras patologias, em virtude da reabertura do comércio na capital.

“Temos baixo número de óbitos há duas semanas seguidas mas, na contrapartida, registramos o aumento de outras demandas relacionadas ao atendimento geral. Por isso, sentimos a necessidade de reorganizar o fluxo de atendimento para evitar que os pacientes do SUS sejam prejudicados e garantir que eles tenham a assistência adequada”, ressaltou.

Ainda conforme a diretora, o Grande Trauma continuará atendendo todos os pacientes conforme a classificação de risco.

“É preciso lembrar que há demandas que precisam ser atendidas nas unidades básicas de saúde, visto que o HGR é uma unidade de alta complexidade, então, para evitar tumulto e garantir a atenção adequada, é preciso seguir a classificação de risco adotada pelo Ministério da Saúde”, enfatizou a diretora.

Com informações de  Lidiane Oliveira