Roraima

Retomada da construção de moradias somente à partir de 2021, segundo Codesaima

Anastase Papoortzis com o chefe do gabinete do MDR, Fernando Machado Diniz. foto:Divulgação
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

As obras de construção de moradias populares serão retomadas em Roraima a partir de 2021, inicialmente com 400 unidades, financiadas pela Caixa Econômica Federal por meio do recém-criado programa Casa Verde e Amarela, do Governo Federal.

A boa notícia foi dada pelo presidente da Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima), Anastase Vaptistis Papoortzis, após participar de encontros no MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional), em Brasília, na semana passada.

Anastase se reuniu com o chefe do gabinete do MDR, Fernando Machado Diniz, e técnicos, para apresentar os planos de habitação da Codesaima e a participação de Roraima no programa Casa Verde e Amarela, que substituirá o Minha Casa Minha Vida e prevê o atendimento de cerca de 1,6 milhão de famílias de baixa renda em todo o Brasil, até 2024.

Em Boa Vista, Papoortzis se reunirá com representantes do setor de habitação da CEF (Caixa Econômica Federal) para tratar da construção, já no início de 2021, de 400 casas populares.

“Na reunião em Brasília, recebemos o positivo e a permissão para continuarmos com nosso projeto e, nesta semana, estaremos nos reunindo com a habitação da Caixa Econômica Federal para tratarmos disso”, afirmou.

Conforme Papoortzis, a Codesaima é por definição uma Cohab (Companhia de Habitação) e, após a aprovação de seu novo Estatuto Social, em agosto, ficou determinado que a empresa atue apenas com habitação e mineração.

Roraima tem um déficit habitacional de 30 mil moradias. O déficit habitacional do Estado de Roraima é de 30 mil moradias e a volta das construções, a partir do próximo ano, deve atender grande parte da população que sonha com sua casa própria.

O Ministério do Desenvolvimento Regional terá a incumbência de desenvolver o Casa Verde Amarela em todo o País, com condições especiais nas regiões Norte e Nordeste. Comandada pelo ministro Rogério Marinho, a pasta, neste ano de 2020, conta com um orçamento de R$ 17,196 bilhões para aplicação em projetos pelo Brasil.