Meio Ambiente | RR Roraima

Redução do nível dos rios prejudica serviço da balsa do Passarão em Roraima

Balsa do Passarão.
Balsa do Passarão
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

A redução dos níveis na calha do rio Branco nos últimos meses está comprometendo o serviço de transporte de veículos e de pessoas pela balsa do Passarão, via rio Uraricoera, na zona rural de Boa Vista.

Conforme dados da Agência Nacional de Águas e da Diretoria de Hidrologia e Gestão Territorial do Serviço Geológico do Brasil, o nível do rio Branco, que chegou a 6,96m no final do mês de junho, nesta terça-feira, 2, está com 1,23m. Isto afeta toda a bacia hidrográfica.

De acordo com o diretor do Departamento de Produção Agropecuária da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Diego da Silva Barberena, será necessário construir uma estrutura na margem do rio Uraricoera, na Vila do Passarão, para evitar o encalhe da balsa.

Enquanto este trabalho não for feito, uma das alternativas para garantir segurança aos usuários e não atrapalhar o funcionamento do serviço é reduzir o peso da carga por travessia.

“A balsa ficou encalhada duas vezes no domingo. Já solicitamos apoio da Secretaria de Infraestrutura para construção de uma estrutura, a fim de impedir o encalhamento. Este trabalho inclusive já foi feito margem oposta do Uraricoera. Neste momento, será necessário diminuir a quantidade de veículo por travessia. Isso acarretará tempo maior de espera para quem precisa atravessar o rio, mas garantirá segurança”, enfatizou Diego Barberena.

Demanda cresceu após ampliação do horário do serviço

Com o oferecimento de nove horários de travessia, desde o final do mês de setembro, cresceu o número de atendimento da balsa do Passarão.

Mecanismo de ligação entre a região da Vila do Passarão e quase 20 comunidades indígenas da região do Baixo São Marcos, com população estimada de oito mil pessoas, a balsa, que antes transportava entre 1.200 e 1.500 veículos por semana, atendendo cerca de quatro mil pessoas, está transportando, em média, dois mil veículos por semana, ampliando o atendimento para cerca de seis mil pessoas.

A embarcação agora recebe manutenção preventiva frequente e reduziu o consumo semanal de combustível de 800 para 300 litros. Nas próximas semanas, será feita uma reforma no motor e a balsa ficará parada por três dias. Os usuários serão informados com antecedência.

Quando a embarcação não está funcionando, por algum problema técnico, uma rota alternativa é feita pelo município de Normandia, porém, aumenta significativamente o percurso, pois acrescenta cerca de 100 quilômetros.