Amazonas

Projeto do Sebrae Amazonas visa consolidar produtos artesanais para fora do Estado.

Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

Incentivar a geração de renda, desenvolver produtos que respeitem as tradições culturais, capacitar para a gestão e promover a cultura amazônica. Estes são alguns objetivos do projeto Amazonas Original, que será apresentado a artesãos e gestores municipais em seminário, no próximo dia 25, às 17h.

Durante o seminário, especialistas e artesãos convidados  farão uma breve análise sobre os resultados obtidos entre 2014 e 2020, por meio do projeto ‘Brasil Original’, e apresentar as perspectivas futuras sob a chancela do ‘Amazonas Original’, que prevê novas oportunidades para os envolvidos nesse setor da economia criativa amazonense.

Criado em 2012, o ‘Brasil Original’ nasceu com o propósito de reposicionar o artesanato perante o mercado. O projeto no Amazonas despertou potencialidades em vários municípios, promoveu capacitações e, principalmente, ações mercadológicas que permitiram apresentar as peças a um mercado consumidor mais amplo e com maior poder aquisitivo. Foi o caso da loja conceito instalada no Amazonas Shopping, em 2014, que superou todas as expectativas na comercialização e satisfação dos clientes.

Em 2015 o projeto partiu para ações de incentivos dos produtos, agregando valor às peças. Assim aconteceu em Barcelos (AM), por exemplo. Após as consultorias recebidas pelo Sebrae, os artesãos inovaram. Antes trabalhavam com acessórios, depois passaram a  produzir artigos de decoração e atingiram novos mercados, com um outro patamar de comercialização. “A formalização mudou tudo, principalmente financeiramente. Antes o artesanato era um complemento de renda, hoje é a renda. Trabalho com mais tranquilidade e posso oferecer uma educação e saúde melhor para a minha filha”, comemora a artesã Dinalva Campos.

Em São Gabriel da Cachoeira (AM) não foi diferente.

“Eu praticamente dava meus produtos, pois o valor que recebia não cobria nem os custos. Com a consultoria do Sebrae, aprendi a valorizar meu produto, aumentei minhas vendas e estou tendo outros benefícios, tanto para mim quanto para a comunidade em que vivo”, avalia o artesão José Garcia, da etnia Kuripako.

Resultados como esses, foram ainda mais potencializados após a participação dos artesãos amazonenses em feiras nacionais e internacionais – na ‘Paralela Gift Design’ foram assinados os primeiros contratos de longo prazo com grandes varejistas do segmento de design e decoração nacional; e outras iniciativas articuladas que encontraram os artesãos preparados para novos negócios.

Foi o caso, já em 2016, do espaço ‘Brasil Original Artesanato’. Uma loja no Amazonas Shopping que reuniu produtos feitos por 168 famílias atendidas pelo projeto em Barcelos, São Gabriel da Cachoeira, Benjamin Constant, Reserva de Amanã e Manaus. A iniciativa teve como retorno mais de 38 mil peças comercializadas.

Em 2019 o Sebrae subsidiou a ida de 12 lojistas para São Gabriel da Cachoeira e Benjamin Constant, com o objetivo projetar o artesanato indígena em mercados fora do Estado, especialmente nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste. Cerca de 60 indígenas de várias etnias (matis, morubos, ticunas e baniwas) tiveram a oportunidade de apresentar e negociar diretamente seus produtos.

Na avaliação da diretora-superintendente do Sebrae no Amazonas, Lamisse Cavalcanti, a iniciativa foi uma forma de fortalecer a produção e criar uma cultura de negócios.

“É como se estivéssemos incentivando um turismo de negócios, valorizando nossa cultura, o pequeno artesão, e ao mesmo tempo incentivando o empreendedorismo no interior do Amazonas”, afirmou.

Desde março do ano passado, com a realidade imposta pela pandemia da Covid-19, as ações presenciais foram interrompidas, mas algumas continuaram de forma on-line. O apoio do Sebrae nesse momento possibilitou capacitações, aprimoramento, além de manter essa rede de artesãos conectada, pensando nas perpectivas futuras.

A partir dessas escutas, surgiu a ideia do ‘Amazonas Original’, que promote ser um novo momento pós pandemia, a partir da expertise adquirida nos anos anteriores. Apoiado em quatro eixos – apoio à gestão, ao desenvolvimento de novos produtos, à comercialização e à divulgação, o projeto tem o propósito de contribuir para a melhoria da qualidade de vida de cada artesão envolvido.

SERVIÇO

O que: Seminário Amazonas Original

Quando: 25 de março de 2021

Horas: 17h às 18h30

Plataforma Teams