Destaque Educação | AM

Professores da rede estadual têm acesso a cursos on-line voltados à saúde sócio-emocional

SEDUC - Vivescer | Foto: Eduardo Cavalcante
SEDUC - Vivescer | Foto: Eduardo Cavalcante
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

Educação/Am – Com o objetivo de oferecer apoio socioemocional para professores da rede estadual, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto, em parceria com o Instituto Península, lançou, nesta sexta-feira (24/07), a plataforma Vivescer. A live de lançamento do programa foi transmitida pelos canais do projeto “Aula em Casa”.

Participaram da live de lançamento o secretário de Educação em exercício, Luis Fabian Barbosa; as coordenadoras de conteúdo e pedagógica da plataforma, Silvia Breim e Flávia Castanho, respectivamente; a assessora técnica da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Maysa Araújo; a psicóloga Adriana Magalhães; e a socióloga Lourdes Atiê.

O Vivescer foi desenvolvido em conjunto com um grupo de educadores representando os diferentes estados do Brasil e, nele, os professores têm acesso a uma comunidade para trocar experiências e uma área com percursos de aprendizagem que estimulam o desenvolvimento.

Para ter acesso aos cursos oferecidos pela plataforma, basta efetuar cadastro por meio do link http://vivescer.org.br/cadastro, preencher as informações e, em seguida, criar uma senha.

“O objetivo desta parceria é compartilhar com os nossos professores e pedagogos a oportunidade de orientá-los quanto às demandas emocionais, desenvolvendo, assim, o autocuidado e o autoconhecimento, mudanças de práticas que façam sentido nesse novo normal”, afirmou o secretário Luis Fabian.

Durante o encontro desta sexta-feira, as representantes da plataforma Vivescer, Silvia Breim e Flávia Castanho, apresentaram os objetivos e estratégias da iniciativa.

Saúde mental – A assessora técnica da Undime, Maysa Araújo, relatou a importância de estimular os cuidados com saúde mental dos educadores, no período de retorno às atividades presenciais – ainda sem data definida.

“A adoção de aulas remotas mediadas por tecnologia, em razão da suspensão das [atividades] presenciais, foi um dos métodos primordiais para a continuação do ensino. Mas, agora que estamos gradativamente retornando às salas de aulas, é primordial que a saúde emocional e mental dos professores seja estimulada, pois isso reflete diariamente no cotidiano nas unidades escolares”, completou.

Palestra – Durante a live de lançamento, a socióloga Lourdes Atiê apresentou a palestra “As emoções e as possíveis práticas na educação híbrida”, na qual discorreu sobre as possibilidades e os desafios para o ensino híbrido (aulas presenciais e remotas).

“É notório que uma das instituições mais afetadas pela pandemia foi a escola, porque é o local onde as atividades eram 100% presenciais. Os professores são os profissionais de maior resiliência, e por isso é tão importante priorizar o equilíbrio emocional e mental deste grupo, visto que eles passaram por momentos de exaustão durante o período de aulas remotas”, destacou Atiê.