Destaque Saúde | AM

Prefeitura de Manaus dará inicio ao “Janeiro Roxo” a partir de segunda-feira, 3/1

SEMSA Prefeitura de Manaus "Janeiro Roxo"
Foto: Divulgação
Escrito por Zukka Brasil | AM

Com uma meta de realizar 42.690 exames de pele para a detecção de hanseníase durante o ano de 2021 na capital, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), já contabiliza 51.567 exames, chegando ao diagnóstico de 100 novos casos da doença.

Prefeitura inicia atividades do ‘Janeiro Roxo’ na próxima segunda-feira, 3/1

Para manter a ampliação do trabalho de diagnóstico, a Semsa prepara uma intensa mobilização para o “Janeiro Roxo”, campanha nacional de prevenção e controle da hanseníase, e inicia na próxima segunda-feira, 3/1, a visita em domicílios, selecionados aleatoriamente, realizando uma entrevista através de questionário elaborado pelo Ministério da Saúde, nos bairros com maior incidência da doença em Manaus.

Conforme a secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, a ação faz parte do trabalho que o órgão tem desenvolvido para reforçar o diagnóstico precoce da hanseníase, que pode levar de 2 a 7 anos para manifestação dos sintomas, a partir da contaminação.

“Como os sintomas da hanseníase não se manifestam de forma imediata, o diagnóstico precoce da doença é fundamental. Em alguns casos, com diagnóstico tardio, o paciente chega ao serviço de saúde já apresentando sequelas irreversíveis. A ação do Janeiro Roxo tem o objetivo de sensibilizar a população sobre os sinais e sintomas da doença, que tem cura, e fortalecer a detecção precoce”, informa Shádia Fraxe.

A ação de busca ativa que será realizada entre 3 e 7/1, com a atuação de Agentes Comunitários de Saúde (ACSs), vai alcançar 12 bairros de Manaus: Colônia Antônio Aleixo, Jorge Teixeira, Cidade de Deus, Santa Etelvina, Novo Aleixo, Alvorada, Compensa, Petrópolis, Centro, Cachoeirinha, Praça 14 de Janeiro e Japiim. A previsão é que sejam realizadas visitas em 1.106 imóveis.

A chefe do Núcleo de Controle da Hanseníase da Semsa, enfermeira Ingrid Simone Alves dos Santos, explica que os ACSs irão visitar os domicílios selecionados para a busca ativa de possíveis casos suspeitos, mediante a realização de entrevistas com moradores.

O formulário preenchido será entregue para a equipe de saúde responsável pelo território, que irá avaliar as respostas e agendar as consultas.