Segurança | RR

PCRR reduz gastos com combustíveis e manutenção de viaturas

Policia Civil de Roraima
Policia Civil de Roraima | Foto: Ascom PCRR
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

Segurança/RR – Nos últimos três anos, a PCRR (Polícia Civil de Roraima) registrou uma queda significativa em valores de gastos destinados ao abastecimento e manutenção de viaturas. Com gasto de R$ 1.565.713,00 no ano de 2018 somente com combustível, a partir de 2019 houve uma redução de R$ 379 mil, incluindo também nas despesas a manutenção das viaturas, que não eram feitas em 2018 na Polícia Civil.

De acordo com o delegado geral da PCRR, Herbert de Amorim Cardoso, ao assumir a gestão da instituição em janeiro de 2019, recebeu uma frota de veículos cheia de problemas, sem manutenção, com atraso no pagamento dos combustíveis e um consumo altíssimo desses combustíveis por mês.

“Para resolver essa situação, começamos a racionalizar o uso das viaturas e fizemos a manutenção, pois havia veículos parados há anos aguardando apenas simples detalhes para funcionar e conseguimos colocá-las para rodar. Também implementamos o mapa de combustível e adotamos a utilização responsável dessas viaturas com uso do cartão de abastecimento”, detalhou o delegado geral.

Ainda segundo Herbert Cardoso, outra medida adotada na Polícia Civil para reduzir os gastos com combustíveis foi a implantação de um sistema eletrônico, através da plataforma do SEI (Sistema Eletrônico de Informações), implantado em Roraima pelo Governo do Estado.

“Com esse Sistema SEI implantado, hoje não é preciso deslocamento de documento de uma delegacia para outra, o que gera uma grande economia. Então, com todas essas ações de austeridade, conseguimos dinamizar o trabalho da Polícia Civil e colocamos mais viaturas para circular”, afirmou.

Cardoso observou ainda que as contas dos gastos com combustíveis das gestões anteriores estavam todas acumuladas para serem pagas e, com o controle na gestão, houve mais rigor para coibir os excessos, ajustar gastos, pagar as dívidas e resolver os problemas de combustíveis das viaturas e também de falta de manutenção.

Em 2018, somente com combustível, houve uma despesa de R$ 1.565.713,00. Com essas novas medidas administrativas, em 2019 houve uma redução nos gastos R$ 1.185.846,74, gerando uma economia de R$ 379.867,19, ou 24% a menos. Entretanto, destaca o delegado geral, foi inserida em 2019 mais uma despesa na Polícia Civil que não existia, como a manutenção de viaturas, com a troca de peças, pequenos consertos, troca de óleo, etc.

“Não havia essa manutenção pela própria Polícia Civil, de forma que atendesse com agilidade as viaturas. Então, trabalhamos e implementamos a manutenção no âmbito da instituição, o que nos trouxe mais celeridade no conserto das viaturas e, mesmo assim, reduzimos gastos e geramos economia para a Polícia”, disse o delegado geral.

Fazendo um comparativo somente de janeiro a maio dos anos de 2018, 2019 e 2020, a Polícia Civil aponta para uma grande redução de gastos. Em 2018, os gastos foram de R$ 686.332,96. A partir de 2019, no mesmo período, os gastos foram de R$ 472.916,78, gerando uma economia de R$ 213.416,18, com redução de 31%.

No ano de 2020, houve mais redução de gastos, um total de R$ 427.180,25. Se comparado com o de 2019, houve uma economia de R$ 45.736,53, com redução de R$ 10%. Entretanto, se comparados os cinco primeiros meses de 2020 com o mesmo período de 2018, quando os gastos foram de R$ 686.332,96, a redução foi bem maior, chegando a R$ 259.152,71 de economia, com redução de 38%.

“Temos tratado a coisa pública com responsabilidade, com gestão, o que nos permite mais eficiência e transparência, resultando em um melhor controle do gasto com os recursos públicos. Mas, principalmente, é importante destacar que apesar dessa economia não houve redução na qualidade e na quantidade de prestação do serviço oferecido pela Polícia Judiciária, ao contrário, há uma maior produtividade”, assegurou.