Destaque Segurança | AM

PF combate crimes ambientais, lavagem de dinheiro e corrupção

Zukka Brasil
Escrito por Zukka Brasil

Rio Branco/AC – A Polícia Federal, com a cooperação do Ministério Público Federal e apoio do Exército Brasileiro, deflagrou nesta quarta- feira (8/5) a Operação Ojuara, que visa desarticular organização criminosa dedicada a crimes ambientais, responsável por extensos desmatamentos no sul do Amazonas, lavagem de dinheiro e corrupção, praticados em tese por servidores públicos, por policiais militares lotados na cidade de Boca do Acre/AM e por grandes pecuaristas da região sul do Estado do Amazonas.

Aproximadamente 180 policiais em três estados (AC, AM e MG) cumprem 18 mandados de prisão, 36 mandados de busca e outras medidas cautelares.

Durante as investigações, constatou-se que os servidores públicos estavam recebendo vantagens indevidas para cometer ilícitos, dentre eles deixar de lavrar autos de infração por desmatamentos, multar “laranjas” em substituição aos verdadeiros responsáveis, repassar informações privilegiadas acerca das datas e locais das fiscalizações ambientais e deixar de apreender maquinário utilizado para desmatamentos da Floresta Amazônica.

Foram encontrados indícios de que alguns pecuaristas invadiam terras da União, comandavam desmatamentos e contratavam policiais militares para fazer a proteção das máquinas e das áreas de desmatamento,
expulsar e ameaçar moradores locais, tendo sido apurada inclusive uma tentativa de homicídio praticada contra um pequeno produtor rural durante a atuação de grilagem de terra e desmatamento de uma área.

Ao longo dos últimos anos, os investigados foram alvo de 169 autos de infração lavrados pelo Ibama, somando aproximadamente R$ 147 milhões em aplicação de multas, referente a uma área de 86 mil
hectares, equivalente à duas vezes a área urbana da cidade de Rio Branco/AC.

OJUARA é tema de livro e filme brasileiros que narram as aventuras do personagem título, indivíduo que teria desafiado o Diabo, fazendo referência ao codinome de um dos investigados.

Será concedida entrevista coletiva, às 10h (horário do Acre), na sede da Superintendência da Polícia Federal no Acre.