Destaque Manaus

Pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades podem se vacinar a partir de sábado, 3/4

Vacinação Manaus | Foto: Dhyeizo Lemos / Semcom
Vacinação Manaus | Foto: Dhyeizo Lemos / Semcom
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

A Prefeitura de Manaus inicia no próximo sábado, 3/4, a vacinação das pessoas de 50 a 54 anos, portadoras de diabetes mellitus, obesidade mórbida (IMC > 40) ou cardiopatias, doenças preexistentes priorizadas na etapa atual da campanha municipal de imunização contra a Covid-19. Os que se enquadram nessas condições de saúde e idade devem buscar um dos sete pontos de vacinação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em funcionamento das 9h às 16h, nas quatro zonas geográficas da capital.

“Manaus é a cidade que mais avança na inclusão de grupos prioritários na vacinação contra a Covid e esse ritmo será ainda mais acelerado com o aumento da disponibilidade de doses anunciado pelo Ministério da Saúde”, ressalta o prefeito David Almeida, que na última terça-feira já havia determinado a antecipação da vacina para o público de 55 a 57 anos, que será atendido de modo escalonado ao longo da semana.

A secretária municipal de Saúde interina, Aline Rosa Martins, informa que todos os usuários de 50 a 54 anos cadastrados até agora no “Imuniza Manaus” estão agendados, com a indicação de hora e local de atendimento. Quem ainda não fez o cadastro, pode acessar o sistema (https://imuniza.manaus.am.gov.br) e informar seus dados no campo “Comorbidades”. A consulta ao agendamento está disponível no mesmo link, na opção “Consultar 1ª dose”.

“Orientamos para o cadastro prévio porque, dessa forma, o atendimento é mais rápido e a possibilidade de erro de registro é muito menor. No entanto, a pessoa que não conseguiu se cadastrar pode se dirigir a um dos pontos de vacinação, que o cadastro será feito na hora e a vacina, aplicada”.

De acordo com Aline, até o início desta quinta-feira, 1º/4, o “Imuniza Manaus” havia agendado oito mil usuários para receber a vacina no próximo sábado.

Para ser vacinada, a pessoa que se enquadra nas condições definidas deve apresentar laudo (original e cópia) que comprove a doença preexistente, além de documento de identificação com foto e CPF. No caso dos diabéticos, é válido como documento de comprovação, receita médica (original e cópia) do SUS ou da rede particular. E para os que têm obesidade mórbida, pode ser apresentada declaração (original e cópia) de comprovação de IMC (índice de massa corpórea) igual ou maior que 40, emitida por profissional médico ou por qualquer outro profissional da saúde, de nível superior, como enfermeiro, nutricionista, farmacêutico e educador físico.

Além dos que têm entre 50 e 54 anos, com uma das três doenças contempladas, a Semsa segue com a vacinação de primeira dose dos que têm entre 55 e 59 anos nas mesmas condições de saúde e dos que têm acima de 60 anos, que por algum motivo não puderam se vacinar antes.

A campanha também continua para a segunda dose dos trabalhadores da saúde, cujo atendimento é feito exclusivamente na Escola de Enfermagem, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Não devem procurar os postos as pessoas que estão com alguma doença na fase aguda, inclusive síndromes gripais. Para esses, a recomendação é esperar até a completa recuperação. Quem está com Covid-19 ou teve a doença recentemente precisa aguardar 30 dias após os primeiros sintomas sanarem, para ser vacinado.

Vacinômetro

De acordo com o Vacinômetro municipal (https://vacinometro.manaus.am.gov.br/view/), Manaus já vacinou 294 mil pessoas, das quais 239 mil com a primeira dose e 55 mil com a segunda. Todas as metas de vacinação para as faixas de idade acima de 65 anos e para os trabalhadores da saúde já foram ultrapassadas na capital. O Ministério da Saúde tem como meta vacinar 90% de todos os grupos contemplados na campanha.

Vacinação a partir de 3/4

Pessoas de 50 a 54 anos, com comorbidades e remanescentes dos demais grupos prioritários:

Diabetes mellitus; obesidade mórbida; cardiopatias; insuficiência cardíaca (IC); cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndromes 
coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias
 congênitas no adulto; próteses valvares e 
dispositivos cardíacos 
implantados.