Cultura | AM Destaque

Obras de Claudio Santoro para violoncelo e piano é indicado ao Grammy Latino

Claudio Santoro Grammy Latino Amazonas
Foto: Léo Aversa/ Divulgação
Escrito por Zukka Brasil | AM

Há um amazonense entre os indicados ao Grammy Latino 2021, mas em formato de obra. O CD “Claudio Santoro: a obra integral para violoncelo e piano” está entre os indicados a “Melhor Álbum de Música Clássica”, o único brasileiro a competir pelo prêmio na categoria. Lançado em 2020, o álbum contém obras inéditas do compositor erudito amazonense. Confira a lista de indicados: https://bit.ly/grammyindicados.

Protagonizado pelo violoncelista Hugo Pilger e o pianista Ney Fialkow, o álbum tem duração de 77 minutos, com músicas que datam de 1943 até 1982. Gravado entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020, o CD seria lançado durante uma turnê, cancelada com o agravamento da pandemia da Covid-19. O lançamento ocorreu em junho de 2020, junto de um documentário sobre os bastidores da gravação (https://bit.ly/docsantoro).

Ney Fialkow comenta que a indicação para um dos maiores prêmios da música latina foi uma surpresa, e que a dupla já se sente premiada.

“Montamos um CD completamente independente, num momento de pouco auxílio para a música erudita no país, então fizemos com os recursos próprios e nos atiramos com muita dedicação a esse repertório fantástico do Santoro”, conta o músico. “O objetivo básico desta obra era divulgar a música dele e, com essa indicação, a sensação é de missão cumprida. Chegar entre estes cinco álbuns já foi muito difícil, ficaríamos em um lucro ainda maior se fôssemos premiados”, ressalta.

Ainda de acordo com o pianista, a obra do maestro amazonense será ainda mais difundida com a indicação ao Grammy.

“É uma obra de grande envergadura, e tivemos a felicidade de encontrar um tesouro que, infelizmente, foi pouco explorado e mergulhar nessa obra grandiosa. Nos sentimos muito realizados em saber que a música dele será mais difundida com a indicação”, enfatiza o pianista.

Além da obra já conhecida de Santoro, para violoncelo e piano, foram adicionadas mais quatro músicas, oriundas de manuscritos inéditos entregues por Alessandro Santoro, filho do compositor. Com a obra integral, o ouvinte pode ter noção das fases do maestro amazonense, suas escolhas estéticas e processos evolucionais.

O CD pode ser comprado em formato físico na Loja Clássicos, da Revista Concerto (https://bit.ly/CDclaudiosantoro), e também está nas plataformas de streaming.

A premiação do 22º Grammy Latino será no dia 18 de novembro. Entre os indicados estão nomes como Caetano Veloso, Nana Caymmi, Duda Beat, Anavitoria, entre outros.

Claudio Santoro – Claudio Franco de Sá Santoro nasceu em Manaus, no dia 23 de novembro de 1919. Na adolescência destacou-se na cidade participando de recitais, o que lhe rendeu uma bolsa de estudos, concedida pelo Governo do Estado, para estudar música no Rio de Janeiro, de onde, anos depois, seguiu para o mundo com sua música.

Foi maestro, compositor, professor. Recebeu diversos prêmios e condecorações no Brasil e no mundo; foi fundador e Maestro Titular das Orquestras de Câmara da Rádio MEC e da Universidade de Brasília; das Orquestras Sinfônicas da Rádio Club do Brasil e do Teatro Nacional de Brasília; membro da Academia Brasileira de Música, da Academia Brasileira de Artes e da Academia de Música e Letras do Brasil, da qual foi Presidente.

Também regeu, como convidado, as mais importantes orquestras do mundo, entre elas, a Filarmônica de Leningrado, Estatal de Moscou, RIAS Berlin, ORTF Paris, Beethovenhalle Bonn, Sinfônica da Rádio de Praga, Filarmônica de Bucarest, Filarmônica de Sofia, PRO ART (Londres), Île de France (Paris) e Filarmônica de Varsóvia. Santoro faleceu no dia 27 de março de 1989, em Brasília, regendo, durante o ensaio geral do 1º concerto da temporada.

Em 2019, ano do centenário do seu nascimento, Claudio Santoro foi o grande homenageado do Festival Amazonas de Ópera (FAO), com a apresentação da ópera “Alma”, além de um recital com canções compostas pelo maestro amazonense.