Destaque Saúde | AM

Ministério da Saúde treina Amazonas para vacinação contra Covid-19 em crianças

Amazonas Vacinação Covid-19 SES-Am FVS-RCP
FOTO: Bruno Zanardo
Escrito por Zukka Brasil | AM

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) recebeu, nesta segunda-feira (10/01), treinamento on-line do Ministério da Saúde sobre especificidades técnicas da vacinação contra a Covid-19, destinada a crianças de 5 a 11 anos.

Para este público, o imunizante a ser usado é o da Pfizer (Comirnaty – Pfizer/Wyeth), específico para crianças, com rótulo de cor laranja. A composição destinada para o público infantil teve segurança e eficácia atestadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O intervalo entre a primeira e segunda dose será de oito semanas. O MS ainda não divulgou previsão de envio de doses desse tipo de imunizante para o Amazonas.

“Toda a área técnica está sendo treinada para que a vacinação siga corretamente, com todas as especificidades adequadas para as crianças”, destaca a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim.

A exigência do Governo Federal é que haja treinamento completo das equipes de saúde que farão a aplicação da vacina.

“Vamos reforçar toda a capacitação para as equipes municipais de saúde, que também podem participar das próximas turmas do treinamento, a exemplo da secretaria municipal de saúde de Manaus, que já está recebendo a capacitação”, afirmou Josy Dias, enfermeira do Programa Nacional de Imunização (PNI) no Amazonas.

Na sexta-feira (07/01), o MS realizou o treinamento on-line com uma primeira turma. A capacitação é destinada a equipes de saúde de todos os estados brasileiros. O treinamento é recebido pela esfera nacional e repassado para as secretarias municipais de saúde das cidades no Amazonas.

As orientações do PNI/MS também destacam que a vacina contra Covid-19 deve ser administrada com intervalo de 15 dias da aplicação de outras vacinas do calendário infantil.

“Foi abordado todo o manuseio e preparo para a aplicação dessas doses, desde a chegada das doses e distribuição”, afirmou a enfermeira Josy Dias, do PNI no Amazonas.