Destaque Segurança | AM

Homicídios caem 20% em fevereiro e atingem o menor nível para o mês em cinco anos

PILAR
Zukka Brasil
Escrito por Zukka Brasil

Manaus registrou uma redução de 20% no número de homicídios dolosos em fevereiro na comparação com o mesmo período de 2018. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), ocorreram 52 crimes com a característica na capital. Foi o menor patamar de homicídios para o mês nos últimos cinco anos.

Em fevereiro de 2018, a capital amazonense teve 65 homicídios. Em 2017 e 2016, foram 67 casos, e em 2015 um total de 78 homicídios.

Além da queda no número de homicídios, Manaus também registrou redução de 50% no número de latrocínios e, pelo segundo mês consecutivo, diminuiu o número de roubos em 9,5%.

As reduções refletem as novas diretrizes da segurança pública determinadas pelo governador Wilson Lima e implementadas pelo secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates. Além do reforço e de novas estratégias para o policiamento ostensivo das ruas, o período foi marcado por grandes operações policiais integradas em Manaus e no interior.

Colaboração – Mais da metade dos homicídios registrados em Manaus têm relação com o tráfico de drogas e a falta de depoimentos de testemunhas e familiares dificulta a elucidação dos crimes. Segundo o delegado titular da Especializada em Homicídios e Sequestros, Paulo Martins, muita gente acaba não contando o que sabe à polícia temendo represálias. Por isso, os depoimentos confidenciais, em que a testemunha é mantida sob anonimato no processo, têm sido cada vez mais usados para esclarecer os casos.

Em janeiro, foram efetuadas 25 prisões pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), da Polícia Civil. Desse total, 19 foram resultado do trabalho de investigação e as outras seis realizadas em flagrante. O número é maior do que as prisões efetuadas ano passado.

De acordo com o delegado, a especializada tem intensificado os trabalhos de investigação para chegar aos autores de homicídios ocorridos em Manaus e no interior. “Nossa maior dificuldade é trazer as testemunhas até a delegacia para depor, mas temos mecanismos, como a declaração de confidencialidade, que garantem o sigilo das declarações. Apenas juiz e promotor do caso têm acesso ao nome de quem forneceu o depoimento”, disse.

A falta de informações dificulta o trabalho de investigação e a resolução dos casos. Por isso, o delegado afirma que toda a colaboração é bem vinda. Outro caminho para ajudar a polícia é através da denúncia anônima ao telefone 181, o disque-denúncia da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), que funciona 24 horas por dia e atende a todo o Estado.

Coordenando uma equipe de 14 investigadores, o titular da DEHS, delegado Paulo Martins, destacou o trabalho que vem sendo realizado pela delegacia para dar as respostas necessárias à sociedade.

“Temos trabalhado diuturnamente, investigando os casos que aprecem e realizando um trabalho técnico minucioso, alcançando bons resultados. Em janeiro tivemos um número alto de prisões. Isso mostra que estamos trabalhando em todos os casos, com empenho e dando uma resposta positiva para a população”, destacou Paulo Martins.

A Especializada também fechou janeiro com números positivos de inquéritos finalizados e enviados à Justiça. Dos 36 procedimentos concluídos, 27 foram encaminhados para a Justiça com as autorias dos crimes definidas.

Prisões – No ano passado, de acordo com dados da Polícia Civil, foram presas 478 pessoas pelo crime de homicídio, em Manaus.

 

A DEHS fica na avenida Autaz Mirim, Jorge Teixeira, zona leste de Manaus. O telefone da unidade policial é o (92) 3681-5725.