Roraima

Governo do Estado recupera 6,4 milhões de compra indevida de respiradores

Devolução de recurso da Sesau por compra indevida de respiradores. Foto: Secom- RR
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

O Governo de Roraima conseguiu recuperar R$ 6,4 milhões (corrigidos) que foram pagos a empresa CMOS Drake do Nordeste LTDA pelos respiradores adquiridos, que não foram entregues pela empresa.

A denúncia sobre a compra foi feita aos órgãos de controle pelo governador Antonio Denarium, após saber sobre o pagamento indevido dos recursos. Ele também entrou na Justiça pedindo a devolução do dinheiro.

“Essa é a maior recuperação de dinheiro público da história do Estado. Me sinto aliviado por ter conseguido recuperar os recursos para os cofres públicos. Assim que soube da situação, fiz a denúncia para a Polícia Civil e ao Ministério Público e entrei na Justiça, pedindo que as contas e bens da empresa fossem bloqueados, até a devolução do dinheiro. Consegui a devolução total do recurso, graças a determinação de não deixar o Governo ser lesado. Com esse dinheiro, teremos condições de fazer mais investimentos na saúde, na educação e no social também. No meu Governo não permitirei corrupção”, enfatizou Antonio Denarium.

O valor foi pago em duas parcelas de R$ 3,2 milhões conforme acordo judicial homologado pela Justiça Federal.

Ainda na Justiça

Mesmo com a devolução do dinheiro por parte da empresa, nada impede que os agentes públicos envolvidos na situação continuem a responder judicialmente pelas irregularidades detectadas na compra dos respiradores.

Essas irregularidades foram denunciadas pelo governador Antonio Denarium, ao Ministério Público, após saber que o pagamento havia sido antecipado sem a entrega dos 30 respiradores comprados.

Por conta da situação, o governador exonerou o secretário estadual de Saúde à época, Francisco Monteiro, e mais sete servidores públicos da Sesau (Secretaria de Saúde) que eram suspeitos ou investigados pelo envolvimento na compra dos respiradores. Além disso, o governador também decretou intervenção jurídica na Sesau.