Amazonas Destaque

Governador Wilson Lima recebe presidente do BNDES e investidores

Governador do Amazonas Wilson Lima e BNDES \ Foto: Diego Peres
Governador do Amazonas Wilson Lima e BNDES Foto: Diego Peres
Escrito por Zukka Brasil | AM

O governador Wilson Lima recebeu o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Henrique Moreira Montezano, nesta segunda-feira (17/05), na sede do Governo do Amazonas, bairro Compensa, zona oeste de Manaus. Montezano, investidores e o corpo técnico do banco cumprem agenda no Amazonas com o propósito de identificar potenciais áreas para investimentos do banco no estado.

No encontro, Wilson Lima destacou que o maior desafio no Amazonas é mostrar para o mundo que é possível desenvolver o estado de forma sustentável e defendeu que são muitas as possibilidades de investimentos na região e em diferentes áreas.

“São muitas as possibilidades no Amazonas. Com 97% do território preservado, está como a natureza nos deu. Temos a maior reserva de gás do planeta e, na semana passada, já teve início a produção. Lançamos o nosso plano Safra 2021/2022 com investimentos de mais de R$1 bilhão para o setor primário. Temos também municípios ao sul do estado que receberão reconhecimento internacional como Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação”, ressaltou o governador ao receber a comitiva.

Montezano ressaltou que o banco quer se aproximar do Norte do Brasil.

“É aqui que conseguimos fazer as ações do banco terem um impacto social e ambiental. Meu intuito é de ajudar, onde quer que seja, para que o banco ajude a região a se preparar para receber o recurso, não é uma agenda de curto prazo”, disse o presidente do BNDES.

O secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, disse que o Amazonas é o espaço adequado para um futuro de investimento e potencial de crescimento econômico aliado ao desenvolvimento sustentável, conforme as expectativas do presidente do banco.

“Aqui a gente tem um potencial muito grande de crescimento econômico, seja pela indústria, seja pelo primeiro setor, como também desenvolvimento de cadeias produtivas sustentáveis como a bioeconomia, os próprios serviços ambientais como o crédito de carbono”, afirmou Taveira.

O presidente do banco comentou que há recursos, mas é necessário preparar o terreno para que esses investimentos possam aterrissar de maneira concreta para beneficiar empresários e comunidades.

“Então numa primeira sondagem é importante que o Governo participe ativamente desse desenho porque, futuramente, nós seremos beneficiados dessa demanda e dessa quantidade de recursos esperados para o desenvolvimento dessas alternativas econômicas para essa região”, disse o secretário.

Na passagem da comitiva, está prevista a ida até unidades de conservação do Amazonas para acompanhar os investimentos em cadeias produtivas extrativistas.