Saúde | AM

FCecon ampliou em 30% atendimentos em 2019

FCecon
FCecon
Zukka Brasil
Escrito por Zukka Brasil

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) realizou, no ano de 2019, 23,6 mil atendimentos a pacientes no Serviço de Pronto Atendimento do hospital. Voltado a quem faz tratamento na Fundação e está com problemas de saúde de urgência e emergência oncológica, o serviço segue o sistema de Classificação de Risco desde 2018.

A Classificação de Risco é baseada no Protocolo de Manchester e prioriza os quadros de saúde considerados mais críticos, analisando na entrada do paciente no Pronto Atendimento a gravidade dos sintomas apresentados.

O protocolo é definido em cores. Quando o paciente chega até a Urgência, ele se identifica no balcão, com documento com foto e cartão da FCecon e passa pela triagem. O profissional que está na triagem avalia a gravidade do estado de saúde e faz a classificação. Depois disso, o paciente segue seu atendimento com o médico e demais procedimentos necessários.

Classificação – Definida em cores, a Classificação de Risco determina que a pulseira vermelha é para os casos de emergência. Ou seja, tem prioridade imediata de atendimento os pacientes que chegam à Urgência da FCecon com quadros de parada cardiorrespiratória, insuficiência respiratória aguda e sangramento agudo intenso.

O atendimento para este caso é imediato, pois há risco de morte, explica a gerente do Serviço de Pronto Atendimento da Fundação Cecon, enfermeira Kamila Sena. “Esse paciente vai diretamente para a ‘sala vermelha’, o acompanhante não entra e vai aguardar o boletim médico e da enfermagem na recepção. Enquanto isso, a família é acolhida pelo serviço psicossocial”, afirma Sena.

Outra cor utilizada é a laranja, correspondente ao atendimento “muito urgente”, que deve ser feito em até dez minutos, conforme o Protocolo de Manchester, que é utilizado em outros hospitais referência no País. Dor intensa, dispneia intensa (respiração desconfortável ou desagradável), hipoglicemia, hipertensão grave, retenção urinária e sangramento moderado vaginal e retal são outras situações classificadas como “muito urgente”.

A Classificação de Risco ainda dispõe da cor amarela, com atendimento a ser feito em até 60 minutos. Dor moderada e leve, sangramento leve, obstrução de sonda nasoenteral e perda de sonda de gastrostomia (usada quando não é possível manter a alimentação pela boca) e de jejunostomia (abertura de orifício no jejuno, através da parede abdominal) são os atendimentos urgentes, definidos pela cor amarela.

Serviço – O Pronto Atendimento da FCecon funciona 24 horas, todos os dias da semana, com médicos plantonistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem para dar o atendimento aos pacientes. O setor tem suporte ainda do Serviço Social e da Psicologia do hospital, que diariamente fazem visitas aos internados e prestam informações e auxílio necessários aos pacientes e acompanhantes.

O Serviço de Pronto Atendimento da FCecon é voltado a quem já tem prontuário aberto na instituição. Por isso é necessário que, sempre que houver busca pelo serviço no local, o cidadão traga a carteirinha da Fundação, além do documento de identificação com foto e CPF do paciente e do acompanhante.

“Lidamos com a situação de outras pessoas que não são pacientes da FCecon, de outros municípios e até de outros países, pessoas que acham que têm câncer, mas não têm o diagnóstico fechado, que procuram a Urgência do hospital. E o setor não é o local para abrir prontuário. Existe todo um procedimento para buscar tratamento na Fundação”, informa Sena.

Como abrir prontuário – Quem busca tratamento na Fundação deve, em primeiro lugar, passar pela triagem do ambulatório do hospital, onde devem ser levados documentos pessoais, exames que confirmam o câncer ou indicam a suspeita da doença, encaminhamento médico e comprovante de residência.

Com esses documentos, se o cidadão tiver indicação para tratamento contra o câncer, ele é encaminhado para abertura de prontuário. A triagem do ambulatório funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 12h e das 13h às 17h.

Orientações – A orientação da gerência do Pronto Atendimento da FCecon é que o paciente que busca o atendimento na Urgência sempre esteja acompanhado de um familiar que conheça o caso. Com a presença de alguém que conheça o histórico médico, ficará mais simples entender a conduta prescrita pelo médico, assim como tirar dúvidas sobre procedimentos.

Além disso, o setor funciona para casos de saúde considerados urgentes e emergentes, não sendo o local adequado para, por exemplo, solicitar ou atualizar a receita para um medicamento, o que deve ser buscado via atendimento ambulatorial, procedimento que é marcado em consulta com o médico especialista. O serviço também não é o local determinado para atualizar laudo e atestado, o que deve ser feito via ambulatório, em consulta médica.

Retiradas de sonda e troca de curativos são outro exemplo de procedimentos ambulatoriais que também devem ser marcados, portanto não é indicado para ser feito no Pronto Atendimento da FCecon.

Exames ambulatoriais de laboratório e de imagem, ou seja, aqueles que não foram solicitados pelo médico da Urgência, também só podem ser feitos após marcação no serviço específico.

Números – No ano de 2019, 23.658 atendimentos foram realizados no Serviço de Pronto Atendimento da Fundação Cecon, um aumento de 30,1% em relação a 2018, que teve registro de 18.179 atendimentos.