Esportes | RR

Desafio dos Lapidados reúne participantes do projeto “Qualidade de Vida” da Vila Olímpica Roberto Marinho

“Desafio dos Lapidados 2ª edição”
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

Os atletas enfrentaram cerca de três quilômetros com os mais diversos obstáculos. Desafiar-se a si mesmo. Esse foi o propósito do evento esportivo “Desafio dos Lapidados 2ª edição”, realizado na tarde deste sábado,12, com os integrantes do Projeto Qualidade de Vida, na Vila Olímpica Roberto Marinho. Pelo menos sete equipes com cinco integrantes cada, enfrentaram os obstáculos do percurso.

A competição começou na piscina, com a prova de 25m. Os atletas de várias idades enfrentaram também corrida com pneus, subida, arraste, zigue-zague, salto em barreira, entre outros. Tudo ao ar livre.

Eles aguardam o ano inteiro esse momento para encerrar as atividades do projeto, em especial os alunos do Treinamento Funcional, mas também havia integrantes de outras modalidades da Vila (como técnica de corrida e caminhada, jiu-jitsu), além de alguns convidados.

Eloilton Alves Ferreira, 56 anos, marceneiro, disse que chegou a Vila com o corpo “entrevado”, mas bastou começar as técnicas de caminhada e corrida, para sua vida melhorar. “Isso aqui ajuda demais, exercício é muito bom pra gente que tá passando dos cinquenta”, disse ele que não parou de praticar atividade nem mesmo quando a Vila teve que fechar na pandemia.

A esposa de Eloilton, Ana Luiza Ferreira, 52 anos, é a sua maior incentivadora. Ela também faz parte do projeto e participou do desafio ao lado do marido. “Um apoia o outro, casal unido [no esporte] permanece unido”, disse. Ela é aluna do jiu-jitsu, modalidade que é apaixonada. “Eu desafio a mim mesma, para testar meu desempenho e compromisso físico e provar, para mim mesma, que não tem essa questão de idade para praticar exercício físico”, garantiu.

O final do “Desafio dos Lapidados” terminou com muita festa e todos ganharam medalha de participação. “O nome da competição faz referência aos alunos que são treinados, ‘lapidados’ ao longo do ano, para que se envolvam e participem de fato das atividades”, explicou a professora Flávia Helena.

O corpo e a mente agradecem. “A gente vai saindo daquela rotina estressante do dia a dia, então aqui é assim, a gente se sente bem, vê os amigos, todo mundo animado, eu acho muito bacana”, disse a estudante Ana Paula Teixeira da Cruz, 34 anos.

Qualidade de Vida – O projeto é desenvolvido pela Prefeitura de Boa Vista, por meio da Fetec e, atende cerca de 300 pessoas ao ano. As aulas são gratuitas e realizadas de segunda a quinta. As sextas-feiras tem um aulão com todos os integrantes. As modalidades ofertadas são: Técnica de Corrida e Caminhada, Jiu-Jitsu, Natação e Treinamento Funcional. Devido à pandemia as aulas foram suspensas em março. Em setembro retornaram apenas as aulas de natação e funcional.