Destaque Roraima

Denarium anunciou R$ 4,3 milhões para recuperação de estradas e construção de pontes no Uiramutã

Governador anuncia R$ 4,3 milhões para recuperação de estradas e construção de pontes no Uiramutã- foto Fernando Oliveira
Zukka Brasil | RR
Escrito por Zukka Brasil | RR

Governo de Roraima – A agricultura nas comunidades indígenas do município de Uiramutã, a Nordeste do Estado, está prestes a viver um novo momento. Com investimento na recuperação de pontes, estradas e vicinais, aquisição de maquinário e implementos agrícolas, o Governo do Estado trabalha para proporcionar melhores condições de produção e escoamento.

Durante a visita às comunidades do Maracanã 1 e Flexal, na segunda-feira (7), o governador Antonio Denarium anunciou investimento de R$ 3,1 milhões para a recuperação de cerca de 200 quilômetros de malha viária e mais R$ 1,2 milhão para a construção de uma nova ponte na comunidade de Água Fria e outra no igarapé Salgado, ambas na RR-171, estrada que dá acesso ao município de Uiramutã.

Além dos investimentos na infraestrutura de pontes e estradas, o governador anunciou R$ 11 milhões, resultado de emenda parlamentar do senador Mecias de Jesus e do deputado federal Jhonatan de Jesus, para a aquisição de 55 tratores equipados com carroça, grade, plantador e carreta para atender todo o Estado. Destes, 20 serão destinados para as comunidades indígenas do município.

O governador Antonio Denarium afirmou que os investimentos chegam em um bom momento, onde a Secretaria do Índio vai desenvolver no município de Uiramutã 100 hectares de agricultura.

“Esses hectares fazem parte de um projeto maior que vai trabalhar 1,5 mil hectares em todo o Estado, 100 por município. Com maquinário para preparar o solo e trabalhar no plantio, apoio técnico para produção e estradas recuperadas, a agricultura vai crescer na região. É o Governo do Estado valorizando as comunidades indígenas do Estado de Roraima”, assegurou Denarium.

Para a aquisição dos tratores, o deputado federal Jhonatan de Jesus informou que o dinheiro já está à disposição da Seapa [Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento] que deverá entregar os tratores até o mês de dezembro.

O tuxaua da comunidade de Maracanã 1, Rosário Silva, afirmou que a vocação da região é a agricultura, e essa atividade é responsável pela subsistência de muitas famílias. Na localidade vivem 332 pessoas, divididas em 64 famílias.

“É muito bom quando o governador olhou com os próprios olhos as dificuldades que passamos. Com esse apoio na recuperação de estradas, pontes e aquisição de maquinário, teremos condições de produzir ainda mais. Os tratores e os implementos vão nos ajudar bastante. Hoje trabalhamos na enxada e com tecnologia vamos produzir muito mais, não só para a nossa subsistência como é hoje, mas também para vender”, declarou o tuxaua.

AGRICULTURA INDÍGENA

O secretário do Índio, Marcelo Pereira, explicou que para participar do projeto, o agricultor indígena deve cumprir alguns requisitos. “Primeiramente temos um cronograma de identificação das áreas e os grupos de produtores que têm interesse em trabalhar com o projeto de grãos em comunidades indígenas, principalmente o milho. Vamos identificar esses grupos, nos reunir com eles e explicar alguns critérios necessários para o enquadramento deles dentro do projeto”, detalhou.

O produtor deve ter no mínimo 10 hectares, dependendo da junção de algumas áreas ao entorno.

“Eles têm que ter a área cercada, próxima a um acesso ou estrada para fazer o escoamento da produção”, disse Pereira.

Tendo preenchido esses requisitos, uma equipe técnica da Secretaria do Índio vai até a propriedade para fazer uma análise do solo.  “Paralelo a esse processo vamos fazer capacitação dos produtores sobre as etapas de produção, do plantio até a colheita. Também vamos proporcionar capacitação sobre gestão, como reinvestir a receita obtida em novos projetos e trabalhando a independência deles”, pontuou.

Com informações de Isaque Santiago