Cultura | AM

Cultura no Amazonas fecha 2020 com investimento em mais de 800 projetos artísticos no Amazonas

Teatro Amazonas | Amazonas Filarmônica | Foto: Michel Dantas
Teatro Amazonas | Amazonas Filarmônica | Foto: Michel Dantas
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

Cultura/Am – Com um planejamento estratégico em um ano de pandemia, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa fechou o ano de 2020 com mais de 800 projetos contemplados em editais, alcançando direta e indiretamente mais de 30 mil pessoas, sejam artistas, produtores e membros da cadeia produtiva cultural. 

O investimento em projetos tanto da capital quanto do interior faz parte da iniciativa de fomento do Governo Federal na quantia de R$ 3 bilhões para os estados, por meio da Lei Aldir Blanc, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural. No Amazonas, o repasse ao Governo foi superior a R$ 38 milhões.

O valor, conforme explicou o secretário Marcos Apolo Muniz, é calculado a partir da soma das ações do Auxílio Emergencial de R$ 600 para artistas do Amazonas e de três editais de atendimento a projetos artísticos, culturais e de economia criativa e solidária: “Prêmio Feliciano Lana” (R$ 32 milhões), “Prêmio Equipa Cultura” (R$ 1 milhão) e “Prêmio Encontro das Artes” (R$ 6,3 milhões), envolvendo tanto iniciativas da capital quanto de municípios do Estado.

O secretário de Cultura e Economia Criativa destaca que os três editais somam mais de 800 projetos agraciados pelo Governo do Estado, sendo 531 pelo Prêmio Feliciano Lana; 242 do Prêmio Encontro das Artes; e 32 projetos pelo Prêmio Equipa Cultura. Os pagamentos aos projetos selecionados estão em fase de execução e devem seguir até janeiro de 2021, no caso da prorrogação dos editais.

“Esses projetos atingem aproximadamente 16 mil artistas diretamente. A gente compreende que vai chegar a mais de 30 mil pessoas indiretamente porque tem projetos que envolvem quase 100 pessoas, outros são um pouco menores”, explicou Marcos Apolo.

Ainda segundo o secretário, o mapeamento da cadeia produtiva cultural realizado em 2020 foi algo que permitiu potencializar ações, como o próprio Natal. “Esse ano percebemos que, por exemplo, a Lei Aldir Blanc atende em sua maioria a classe artística. Quando realizamos uma atividade como é o caso do Natal, nós conseguimos atender técnicos, outros artesãos dessa cadeia produtiva por meio do posicionamento da árvore, da execução do concerto de Natal, entre outras coisas”, acrescentou.

Outras ações – Antes da pandemia, a Secretaria iniciou a modernização do sistema de segurança do Teatro Amazonas, bem como manutenções na pintura, telhado, palco e alterações apoiadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Além do investimento por meio editais, a pasta também apoiou projetos aprovados no edital “Fica na Rede Maninho”, iniciativa voltada para conteúdos diversos englobando Artes Cênicas, Música, Artes Visuais, Audiovisual e Literatura. Os links formaram uma programação disponibilizada no Portal da Cultura, TV Encontro das Águas e aplicativo. O ambiente virtual ainda permitiu o acesso da população ao “Cultura Sem Sair de Casa”, reunindo exposições, jogos, vídeos, gincanas e uma série de atividades pela web.

O ano de 2020 ainda foi marcado pela distribuição de cestas básicas para famílias de artistas em situação de vulnerabilidade social.