Destaque Saúde | AM

Covid-19: Metade dos internados em UTIs de referência não têm mais o vírus

Covid-19 | Foto: Arthur Castro - SES-Am
Covid-19 | Foto: Arthur Castro - SES-Am
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

Saúde/Am – A constatação de que mais da metade dos pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública de Saúde está fora do período de transmissão do novo coronavírus levou a Secretaria Estadual de Saúde (SES-AM) a utilizar novos indicadores de internação no Boletim Diário da Covid-19 divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

A partir da edição de quarta-feira (28/10) as internações foram divididas entre aquelas com menos de 20 dias (pacientes na fase aguda da doença e em período de transmissão) e internações superiores a 20 dias (pacientes em fase fora do período de transmissão da doença, mas que ainda necessitam de atendimento hospitalar especializado).

Dos 98 pacientes internados em leitos de UTI por Covid-19 na rede pública, apenas 38 têm o vírus ativos. Os demais 60 são pessoas que estão internadas para tratar as sequelas da doença.

A mudança na metodologia vai ajudar a secretaria a identificar aqueles pacientes que estão internados para tratamento das sequelas e que podem ser transferidos das unidades de referência para hospitais de retaguarda, sem risco de espalhar Covid-19 na rede, liberando, ao mesmo tempo, leitos para pacientes em fase de transmissão ativa da doença.

Com a antecipação das chuvas combinada à falta de respeito às medidas de restrição de circulação impostas pelo governo, principalmente em função do período eleitoral e dos feriados de setembro, o número de casos de Covid-19, de internações e de óbitos voltou a crescer no Estado.

Desde a semana passada, o Governo do Amazonas colocou em operação o Plano de Contingência organizado para o enfrentamento do crescimento dos casos de Covid-19, a partir de novembro, quando as doenças respiratórias costumam aumentar. O plano prevê a ampliação de leitos sempre que as taxas de ocupação de UTI alcançarem 75% e foi pensado para perdurar até maio, período sazonal da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), quando costuma haver aumento de casos das doenças transmitidas por vírus.

Está em operação a fase um do plano em que o governo está implantando mais 40 leitos de UTI para Covid-19, 30 deles no Delphina Aziz. Em outra empreitada, os três principais prontos-socorros de Manaus estão realizando cirurgias ortopédicas no período noturno para desafogar a urgência e emergência por onde os suspeitos de Covid-19 dão entrada. Outra medida é a remoção de pacientes com problemas vasculares e das vias biliares para cirurgias e tratamento em outros hospitais da rede pública e conveniada.

Com informações da assessoria da SES-Am