Economia | AM

Comércio de Manaus propõe à Wilson Lima reabrir a partir de segunda-feira (30)

Comércio de Manaus
Comércio de Manaus | Foto: Internet
Zukka Brasil
Escrito por Zukka Brasil

ECONOMIA – Treze entidades da indústria, comércio e serviço pedem a reabertura das atividades nas lojas do Centro de Manaus a partir de segunda-feira, 30, e nos shoppings a partir do dia 7 de abril.

Conforme ofício enviado ao governador Wilson Lima (PSC) nesta quinta-feira, 26, as entidades também querem o adiamento por 120 dias (quatro meses) do recolhimento de tributos estaduais.

De acordo com os empresários, as propostas buscam alívio fiscal das empresas frente a queda das vendas causadas pelas medidas adotadas pelo Governo do Amazonas para conter o avanço do coronavírus (Covid-19) em Manaus.

“A impossibilidade de operação é muito mais do que a vontade dos donos das empresas. É a necessidade da população e dos milhares de empregos de continuarem sendo auxiliados”, diz trecho do documento.

Conforme o ofício, a reabertura na segunda-feira, 30, seria apenas para as lojas do centro de Manaus localizadas na Feira Manaus Moderna e nas ruas Marechal Deodoro, Guilherme Moreira e Eduardo Ribeiro. A sugestão é que elas funcionem em horário especial, de 9h às 15h.

Em relação aos shoppings, as entidades propõem que o funcionamento ocorra a partir do dia 7 de abril também em horário especial, de 15h às 21h.

Os empresários afirmam que o horário especial, tanto para as lojas do centro como para as lojas dos shoppings, possibilitaria turnos mais curtos de 6h por dia, podendo ser feita uma diminuição do quantitativo diário de funcionários e revezamento.

Pela proposta, as empresas do comércio deverão manter as pessoas do grupo de risco em licença remunerada ou férias coletivas. Essas pessoas deverão evitar aglomerações pelas próximas duas semanas. O documento propõe a criação de pontos de atendimento da Susam (Secretaria Estadual de Saúde), com ação de vacinação e verificação de temperatura das pessoas que estarão trafegando nas áreas de fluxo.

De acordo com os empresários, ações de prevenção e educação serão promovidas com os funcionários que continuarão atuando nas empresas, “seguindo todas as recomendações da OMS, como por exemplo adoção de distância segura, higienização das mãos, sem contato direito com os clientes, limpeza das lojas, entre outras”.

Assinam o documento enviado ao governador Wilson Lima a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Associação Comercial do Amazonas, Associação de Empresários do Vieiralves, Associação dos Notários e Registradores do Estado do Amazonas, Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas, Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus, Centro da Indústria do Estado do Amazonas, Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado do Amazonas, Conselho de desenvolvimento econômico, sustentável e estratégico de Manaus, Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Amazonas, Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas, Federação das Indústrias do Estado do Amazonas e Rede das imobiliárias de Manaus.

Com informações Amazonas Atual