Saúde | RR

Combate à obesidade e desnutrição infantil será reforçado em Roraima

Combate à obesidade. Imagem: Divulgação
Combate à obesidade. Imagem: Divulgação
Escrito por Zukka Brasil | RR

Que uma rotina alimentar nutritiva garante mais qualidade de vida no futuro muita gente já sabe, mas é preciso reforçar a importância de cada família manter uma alimentação saudável para que as doenças nutricionais sejam evitadas ou diminuídas. E quando o assunto é alimentação saudável, a obesidade e a desnutrição infantil merecem atenção especial.

Dados do Ministério da Saúde mostram que em 2019, Roraima apresentou redução nos registros de obesidade e desnutrição infantil, em comparação a média nacional, ou seja, enquanto a média nacional aponta que crianças menores de 5 anos apresentaram 8,2% de desnutrição, Roraima ficou com 6,33%. Já na faixa etária de 5 a 7 anos, o país teve o percentual de 7,1% enquanto Roraima ficou em 6,7%.

Em relação a obesidade a média nacional Roraima também apresenta redução, pois o percentual nacional foi de 7,6% e Roraima chegou a 4,58% na faixa etária menor de 5 anos. Já entre as crianças de 5 a 7 anos a média nacional foi de 12,8% e ficou em 6,6% em Roraima.

Os dados mostram ainda que entre as gestantes o índice para baixo peso a nível nacional foi de 17,1% enquanto Roraima obteve 14.5%. Em relação à obesidade a média nacional ficou em 19,3%, já Roraima apresentou 15,58%.

De acordo com a nutricionista Karla Gavazza, gerente do Núcleo de Alimentação e Nutrição da Atenção Básica da Sesau, os dados são positivos, mas reforçam a necessidade do acompanhamento contínuo para que estes indicadores de saúde melhorem ainda mais.

“É preciso que haja uma análise permanente da situação de saúde da população por meio da vigilância alimentar. É com essa vigilância que poderão ser tomadas as medidas mais adequadas para o enfrentamento dos problemas existentes”, ressaltou.

Karla reforça que a vigilância alimentar é realizada pela Rede de Atenção Primária e está inserida dentro da Política Alimentar e Nutricional, que busca assegurar a organização e a gestão dos cuidados com a alimentação da população e o estado monitora os indicadores de saúde apresentados por cada região.

“É a partir desse levantamento que os gestores públicos podem construir políticas de enfrentamento que sejam adequadas com as necessidades do nosso povo”, reforçou.

Combate à desnutrição e obesidade será reforçado em Roraima – Graças a portaria Nº 894 de 2021 do MS (Ministério da Saúde) será possível reforçar o trabalho de prevenção e combate a obesidade e desnutrição infantil entre as famílias que integram o PBF (Programa Bolsa Família), especificamente no combate a obesidade e desnutrição em crianças com menos de sete anos e gestantes. É que por meio da portaria foi repassado diretamente aos 15 municípios do Estado recursos que somam o total de R$ 1.089.057,00 para ampliação das ações de melhoria desses indicadores.

A gerente explica que por meio do incentivo financeiro a Atenção Primária de Saúde será possível que os municípios adotem estratégias para reforçar as ações de prevenção e controle dos índices nutricionais negativos na população.

“Essas medidas vão resultar no reforço da vigilância alimentar das gestantes bem como das crianças, medida fundamental porque a criança com excesso de peso tem grande risco de se tornar um adulto obeso e as grávidas que ganham excesso de peso durante a gestação também correm risco de evoluírem a obesidade após a gestação”, reforçou.

 

Com informações de Lucas Sechi