Amazonas

Cadeia produtiva do cacau no Amazonas se expande

Cacau Amazonas
Cacau no | AmazonasFotos: Arquivo/Na’Kau
Zukka Brasil | AM
Escrito por Zukka Brasil | AM

A diversidade das cadeias produtivas do Amazonas está sob permanente acompanhamento do Sistema Sepror.

Formado pelo Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Amazonas (Adaf), Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS) e coordenado pela Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror), o sistema tem intensificado inclusive o apoio à produção em unidades de conservação, a exemplo da cultura do cacau encontrada em municípios do interior do estado, responsáveis pelo abastecimento da capital.

Dados do IBGE, de 2018, mostram o Amazonas produzindo 689 toneladas de amêndoa de cacau, ocupando o quinto lugar no país, precedido pela Bahia, Pará, Espírito Santo e Rondônia. Cerca de 95% do cacau produzido no estado é de origem silvestre e atende às condicionantes de conformidade orgânica.

Já em 2019, de acordo com dados do Idam, o estado produziu 998 toneladas de cacau, beneficiando 1693 produtores. Nova Olinda do Norte, Maués e Urucará foram as cidades que mais produziram a fruta no ano passado.

“No caso do Amazonas, nós temos uma particularidade em relação ao resto do mundo. Nós produzimos cacau silvestre manejado de forma sustentável em unidade de conservação, feita por produtores familiares. Isso é ímpar. Isso só nós temos aqui. Cacau de qualidade, sendo industrializado por uma indústria local. Com excelente qualidade no seu produto e sendo reconhecida internacionalmente”, destacou o diretor- presidente do Idam, Valdenor Pontes Cardoso.

De olho neste potencial oferecido pelo Amazonas, uma família paraense decidiu ser a pioneira a investir na indústria cacaueira exclusivamente regional. O projeto começou a ser formatado, em 2013, a partir de informações obtidas sobre a cadeia do cacau na Feira do Cacau de Urucurituba e foi concretizado anos depois, com a instalação da empresa Na’kau Chocolate Amazônico.