Economia | AM

Balança Comercial do Amazonas cresce 3,33% na Balança Brasil, em novembro

Balança Comercial do Amazonas Balança Brasil
Foto: Divulgação/internet
Escrito por Zukka Brasil | AM

A Balança Comercial do Amazonas alcançou o total de US$ 1,264 bilhão em novembro de 2021, um crescimento de 30,22% na comparação com novembro de 2020. Frente a Balança Comercial do Brasil, a do Amazonas apresentou participação de 3,02% em novembro de 2021 e crescimento de 3,33% no comparativo com outubro de 2021.

O crescimento na Balança Comercial do Amazonas foi impulsionado pelo aumento das importações que apresentou o incremento de 35,18% na comparação com novembro de 2020 e variação positiva de 1,95% em relação a outubro de 2021. Nas exportações, as variações foram negativas em relação ao período anterior e em relação ao período homólogo na ordem -21,12% e de -25,44%, respectivamente.

No ranking de maior relação comercial (importação e exportação) com o Amazonas destacam-se os países: China, Vietnã e Estados Unidos. Juntos, os três países representaram participação de 60,36% na Balança Comercial do Amazonas em novembro de 2021.

Exportações – Dos 59 países parceiros das exportações do Amazonas, a Venezuela foi o principal destino em novembro e ficou responsável por US$ 12,52 milhões, com participação de 21,14%. O Amazonas exportou para o país vizinho o item “misturas e pastas para preparação de produtos de padaria”, o principal produto exportado para a Venezuela e teve participação de 42,26%.

Entre os setores de classificação internacional padrão por atividade econômica, 96,12% das exportações do Amazonas foram da indústria de transformação, 2,97% foram de outros produtos, 0,91% da agropecuária e 0,0004% da indústria extrativa.

Considerado isoladamente, o produto mais exportado em novembro de 2021 foi o item “outras preparações alimentícias” que corresponde ao total de US$14,75 milhões, o equivalente a 24,91% do total exportado. Esse produto teve como destino seis países, sendo a Colômbia o principal com participação de 37,98%. O produto apresentou retração de -13,69% em relação a outubro de 2021 é de -20,22% em comparação a novembro de 2020.

O segundo produto mais exportado foi “Motocicletas (50 e 250 cilindradas)” representando pouco mais de US$ 8,10 milhões, o equivalente a 13,68% do total exportado. Esse produto foi exportado para um total de 12 países, sendo a Argentina o país responsável por 35,23% das aquisições do item, seguido dos Estados Unidos da América (EUA) com participação de 22,48%. As exportações desse produto em comparação a outubro de 2021 recuaram em -34,85%.

Em terceiro lugar, dos mais exportados, ficou o item “Misturas e pastas, para preparação de produtos de padaria, pastelaria” registrando o valor de US$ 5,29 milhões, correspondente a 8,93% do total exportado. A Venezuela foi responsável por 100% do volume de exportações desse produto referente ao mês de novembro.

Importação – As importações do Amazonas em novembro de 2021 registraram cifras de US$ 1,20 bilhão, um aumento de 35,18% na comparação com novembro de 2020. A China se manteve como a principal origem das importações do Amazonas, registrando o montante de US$ 557,53 milhões, o que representou a participação de 46,24% das importações totais do Estado.

O principal produto importado foi “Outras partes destinadas aos aparelhos transmissores”, que registrou o total de US$ 208,96 milhões, o equivalente a 17,33% das importações, sendo 71,53% originários da China. Em segundo lugar veio o item “processadores e controladores”, alcançando cifras de US$ 143,02 milhões, com participação de 11,86% do total, tendo a China como origem de 36,84% das compras desse produto para o Amazonas.

O item “Partes de aparelhos telefônicos” foi o terceiro produto mais importado e alcançou cifras de US$ 78,25 milhões, com participação de 6,49% no total das importações, sendo o Vietnã o principal país de origem com percentual de 49,26% na participação das importações do produto.

Municípios do interior – No interior do Amazonas, em novembro de 2021, o município de Presidente Figueiredo foi o maior exportador, ficando responsável por US$ 4,06 milhões do total exportado no Estado. A China foi o destino do principal produto exportado que foi “ferros-ligas”.

Já o segundo município que mais exportou foi Itacoatiara, registrando o montante de US$ 2,20 milhões do item: “Madeira serrada ou endireitada longitudinalmente”, o principal produto a ser exportado para a Holanda.

Nas importações, o município de Presidente Figueiredo foi o destaque, com o total de US$ 433,75 mil, tendo o produto “outras obras moldadas, de ferro fundido, ferro ou aço” como principal item importado tendo o Chile como país de origem.

Iranduba ficou em segundo lugar registrando o valor de US$ 341,73 mil, tendo Hong Kong como principal origem de suas importações referente ao item “chapas e tiras, de alumínio, de espessura superior a 0,2 mm” como principal produto.