Destaque Saúde | AM

Avanço da vacinação refletiu na redução de óbitos, internações e casos de Covid-19 no Amazonas

Covid-19 Amazonas Vacinação Internações
Foto: Herick Pereira
Escrito por Zukka Brasil | AM

O avanço da vacinação contra a Covid-19 no Amazonas contribuiu para reduzir os óbitos por Covid-19 em 65,3%, as hospitalizações caíram cerca de 60% e as internações 55%, se comparado os primeiros 20 dias de agosto com o mesmo período do ano passado.

Os dados foram apresentados pelo secretário de Estado de Saúde, Dr. Anoar Samad, que aproveitou para convidar as pessoas com 40 anos ou mais, que se vacinaram com a vacina AstraZeneca entre os dias 12 e 28 de junho, a tomarem a segunda dose no Mutirão Vacina Amazonas que será realizado neste fim de semana, em Manaus.

“Observamos a diminuição do número dos casos confirmados, hospitalizações e óbitos em até 65%. No interior, também houve diminuição nas internações. Por que diminuiu? O que a gente não tinha no ano passado e tem agora? Vacina. A vacina é sim a dose de esperança. É muito importante completarem o seu calendário vacinal. Não podemos perder nenhuma oportunidade de vacinar as pessoas. Vacina, máscara e álcool em gel é a nossa esperança de ficar livre dessa pandemia”, declarou o médico.

Segundo ele, a queda nos indicadores epidemiológicos é reflexo da intensificação da vacinação contra a Covid-19, a partir da campanha Vacina Amazonas, na capital e interior do estado. Os mutirões de vacinação, realizados pelo Governo do Amazonas com as prefeituras, deram um impulso na vacinação. Em menos de dois meses, a quantidade de doses aplicadas cresceu 230%, saindo de 1,3 milhão, em 11 de junho, antes do primeiro mutirão, para mais de 3 milhões atuais.

Queda nos índices – Segundo o levantamento da SES-AM, no comparativo de 1º a 20 de agosto de 2020 com o mesmo período de 2021, os óbitos pela Covid-19 saíram de 170 para 59; as hospitalizações saíram de 539 para 217; e o número de casos saiu de 13.395 para 5.983. No interior, a ocupação de leitos clínicos caiu 82,1%, saindo de 157 em agosto de 2020 para 28 em agosto de 2021. Já os leitos de Unidades de Cuidados Intermediários (UCI) tiveram queda de 78,94% na taxa de ocupação – saiu de 19 para 4.

Conforme o diretor-presidente da FVS-RCP, Cristiano Fernandes, a vacinação é a melhor estratégia para conter a entrada de novas variantes da Covid-19. Ele reforçou que todos os imunizantes são eficazes contra as novas linhagens do vírus e, mesmo vacinado, com a primeira e segunda dose, é necessário manter as medidas não farmacológicas como o uso máscara, higienização das mãos e evitar locais com aglomerações.

“Todas as vacinas são efetivas para as variantes que identificamos no Brasil. Não há risco. Não há evidência de escape imunológico, ou seja, a população precisa se vacinar. A melhor arma que nós temos hoje para bloquear qualquer que seja a variante é a vacina. Se tivermos vacinados, a chance de propagação da doença é muito menor”, afirmou o diretor-presidente.

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por pacientes com Covid-19, nos hospitais da rede pública de Manaus, está em 29,34%, e dos leitos clínicos em 24,48%, conforme o boletim epidemiológico divulgado ontem (25/08).

Dos 61 municípios do interior do estado, 45 estão sem pacientes internados pela Covid-19.