Sem categoria

Águas de Manaus: Chegamos para escrever uma nova história

Manaus terá, até 2030, 80% do esgoto coletado e tratado- foto: divulgação/Assessoria
Zukka Brasil
Escrito por Zukka Brasil

Maior companhia privada de saneamento do Brasil, a Aegea tem o prazer de apresentar sua nova marca: Águas de Manaus. Desde o mês de junho, estamos promovendo melhorias na cidade de Manaus, que é a maior concessão privada do país neste setor. No dia 26 de novembro de 2018, iniciamos um ciclo de renovação que vai além da nossa identidade. A gente chegou para escrever uma nova história no sistema de abastecimento de água e no tratamento de esgoto da capital amazonense!

Manaus é uma cidade banhada pela maior bacia hidrográfica do mundo. O movimento cíclico destas águas inspirou nossa nova logomarca. Através da nova roupagem, queremos transmitir o sentimento de respeito e o compromisso em promover saúde na sétima cidade mais populosa do País. “Estamos muito motivados com o desafio de trabalhar com saneamento em Manaus, na Amazônia, onde esperamos contribuir para a melhoria dos indicadores sociais e econômicos, assim como no trabalho e turismo da cidade”, destaca o diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis. “Uma grande mudança requer uma renovação de identidade. A Manaus Ambiental cumpriu seu papel. Agora, a Águas de Manaus chegou para ficar e escrever essa nova história” completou o diretor-presidente.

“Hoje, a Aegea tem 49 concessões pelo Brasil inteiro. A mudança de nome segue o mesmo padrão das outras unidades no país. Fazemos sempre referência as cidades onde estamos presentes e ao nosso ramo de atuação, que é a água. Como nossa campanha diz, a Águas de Manaus quer inaugurar um novo ciclo neste serviço em Manaus”, comentou o diretor-executivo da Águas de Manaus, Luiz Couto.

METAS PARA 2019

Em coletiva de imprensa, a diretoria da Águas de Manaus apresentou suas metas para os próximos cinco anos. Neste período, a concessionária irá investir R$ 880 milhões na ampliação dos serviços de abastecimento de água e tratamento de esgoto da capital amazonense. A previsão é que somente em 2019, cerca de R$ 160 milhões já sejam investidos.

Manaus terá, até 2030, 80% do esgoto coletado e tratado. Isto significa ampliar em cinco vezes a capacidade atual, além de ser um importante compromisso da iniciativa privada para a preservação do meio ambiente na Amazônia. No ano que vem, 40 mil metros de redes de esgoto serão implantados e ou substituídos e nove sistemas de esgotamento de sanitário que já existem na cidade vão passar por reformas e ampliação.

A Águas de Manaus também pretende continuar a expansão dos serviços de água – regularização e expansão do abastecimento – nas zonas Norte e Leste da cidade, prioritariamente. Para isso, estão previstos 18 mil metros de novas redes de água em áreas que ainda não atendidas atualmente. Outros 19 mil metros de redes de distribuição já existentes serão substituídos pela cidade. Algumas adutoras da cidade vão ser duplicadas, ganhando novos 11 mil metros na distribuição de água tratada.

Reservatórios

Os manauaras ainda vão ganhar o reforço de mais cinco reservatórios de água no primeiro semestre do ano que vem. Os novos reservatórios já estão sendo construídos nos bairros da Compensa (zona Oeste), Jorge Teixeira (zona Leste), Cidade Nova (zona Norte), Cidade de Deus (Zona Norte) e Colônia Santo Antônio (Zona Norte). Juntos, eles terão capacidade de beneficiar uma população aproximada de 450 mil pessoas. As novas unidades vão aumentar a capacidade de reserva de água na cidade em aproximadamente 20 milhões de litros.

A Águas de Manaus ainda pretende consolidar a implantação da Tarifa Social, através de seus programas de relacionamento. O benefício concede 50% de desconto na conta de água e esgoto para usuários de baixa renda.

Os ganhos socioambientais também são esperados com ansiedade pela população. As melhorias e investimentos no esgotamento sanitário e no abastecimento de água tratada vão proporcionar mais qualidade de vida para a população, bem como reduzir o índice de doenças causadas por via hídrica. A concessionária também atuará ativamente na gestão de desperdício de água tratada. 40% do que é captado do Rio Negro e tratado sob um rígido padrão de qualidade acaba se perdendo por conta de ligações irregulares e mau uso. Os investimentos para resolver o problema incluem, principalmente, uma série de ações e programas para educar a população quanto ao consumo consciente, além de tecnologia e combate às fraudes.

Vale lembrar que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) para cada R$ 1 investido em saneamento e tratamento de água, R$ 4 são economizados em despesas com saúde. Quatro em cada cinco doenças no Brasil são causadas por água ou esgoto sem o tratamento adequado.

Com informações da assessoria